20 Março 2019

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Fogo: JPAI exige uma política de discriminação positiva para fixação de jovens na ilha – presidente

  • PDF
Partilhar esta notícia

São Filipe, 16 Fev (Inforpress) – A Juventude do PAICV (JPAI) denuncia os constrangimentos que impedem desenvolvimento da ilha, reivindicando investimentos públicos necessários e uma política de discriminação positiva para a fixação de jovens.

Em conferência de imprensa, o presidente da organização, Fidel Cardoso de Pina, que se encontra de visita à ilha acompanhado do vice-presidente Lúcio Fernandes, disse que é “urgente a implementação de políticas públicas para a juventude, que visam debelar o grave problema do desemprego jovem que afecta sobretudo os jovens das zonais rurais da ilha”.

Para o responsável da JPAI a extinção dos centros de juventude e a falta de visão estratégica em matéria de políticas de formação profissional, devido a falta de alinhamento entre as ofertas de formação e as reais necessidades de desenvolvimento da ilha, são “sinais mais do que evidentes da falta de vontade política” do Governo actual em atender os anseios da juventude foguense”.

Por isso, mostrou-se preocupado com o facto de a ilha estar a perder, de forma constante e sistemática,  jovens quadros que poderiam permanecer e ajudar no seu crescimento e desenvolvimento.

“Urge começar-se a pensar no ensino superior no Fogo, tendo em conta o perfil do mesmo e as áreas onde a ilha é um laboratório vivo, como as ligadas à vulcanologia, sismologia, agricultura, com destaque para cultura de videira, do café e da produção industrial e artesanal do vinho,  silvicultura, turismo,  entre outras”, disse o presidente de JPAI, para quem os desafios actuais que se impõem à ilha demandam uma analise e participação activa da juventude da ilha.

“Urge começar-se a pensar no ensino superior no Fogo, tendo em conta o perfil do mesmo e as áreas onde a ilha é um laboratório vivo, como as ligadas à vulcanologia, sismologia, agricultura, com destaque para cultura de videira, do café e da produção industrial e artesanal do vinho,  silvicultura, turismo,  entre outras”, disse o presidente de JPAI, para quem os desafios actuais que se impõem à ilha demandam uma análise e participação activa da juventude da ilha.

Este disse que causa estranheza o “novo figurino de governação do País” que em nada capitaliza a juventude como um activo do desenvolvimento, sublinhando que se já era preocupante “a redução do orçamento para financiar o desenvolvimento da ilha do Fogo no quadro do Orçamento do Estado (OE) 2019 e a previsão de aumento da taxa de desemprego, a exclusão de Mosteiros do Programa de Mitigação da Seca e do Mau Ano Agrícola reflete claramente a insensibilidade deste governo para com os problemas da ilha e do município de Mosteiros em particular”.

“Só um Governo insensível e atroz pode desprover um município de recursos indispensáveis à satisfação das necessidades da sua população”, disse Fidel Cardoso de Pina para quem a exclusão de Mosteiros, poderá trazer serias consequências como insucesso e o abandono escolar para os estudantes deste concelho.

Além da conferência de imprensa, e no quadro da visita, os dirigentes do JPAI participaram na tarde de hoje, nos Mosteiros, numa conversa aberta com os jovens do município dos Mosteiros cujo tema central foi “os desafios da juventude foguenese”.

JR/AA

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: