21 Maio 2019

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Quem foi São Filipe?

... Veja o vídeo
Quinta, 02 Maio 2019 12:15

Coordenador MpD Fogo: Deputados do PAICV deviam pedir desculpas pelos sonhos adiados e atrasos da ilha

  • PDF
Partilhar esta notícia

O coordenador concelhio do Movimento para a Democracia (MpD – situação), Filipe Santos, disse, esta sexta-feira,08, que os deputados do PAICV deviam, no mínimo, pedir desculpas aos foguenses pelos sonhos adiados e atrasos que puseram a ilha do Fogo.

A Semana com Inforpress

Em declarações à imprensa para repostar as afirmações dos deputados do PAICV pelo círculo eleitoral do Fogo, que na quinta-feira afirmaram que “a ilha vive momentos difíceis”, Filipe Santos afirmou que “só uma oposição, por ser mesmo do contra, não querer ver os trabalhos deste governo e das câmaras”.

Observou que os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) de 2015 colocavam a ilha na cauda do desenvolvimento, com uma alta taxa de desemprego, e, sobretudo jovem, “tudo por causa de uma política centralizada e egocêntrica”.

Durante governação local e central, disse o coordenador do MpD, muitas coisas boas aconteceram nos três concelhos da ilha com a economia a crescer, o desemprego a diminuir, o rendimento das famílias a aumentar, o investimento privado local a aumentar, as exportações a aumentar com melhor segurança pública e a inclusão social das famílias mais pobres.

Promessas e projectos em curso

“A oposição sempre que soube das boas novas, sai em frente para distrair os foguenses”, notou Filipe Santos indicando que, em breve, chegarão à ilha “camiões de lixos e milhares de contentores e papeleiras para os três municípios”.

Sobre a deslocação da lixeira, lembrou que é uma “pesada herança deixada pelo PAICV e encontra-se num tereno privado devido à venda desbaratado do terreno pela Camara São Filipe em 2011, com suspeitas de corrupção”.

Filipe Santos aconselhou os deputados do PAICV a visitar as obras financiadas pelo Fundo de Ambiente para ter a “humildade de parabenizar o Governo e a câmara”, apontando como exemplo a requalificação ambiental e paisagística do Alto de Santo luzia, a substituição das espécies arbóreas na cidade, a requalificação ambiental e paisagística de acesso e da orla marítima de Fonte Bila e da praia de Nossa Senhora de Encarnação, no município de São Filipe assim como as intervenções nos outros dois municípios da ilha.

Já no quadro do Programa de Reabilitação, Requalificação e Acessibilidades (PRRA), Filipe Santos destacou as obras do início da requalificação do centro histórico, das estradas de desencravamento, as dezenas de casas reabilitadas/construídas, calcetamentos/arruamentos, construções de pracetas e pedonais, estradas de Cova Tina/Portela/Bangaeira e Campanas Cima a Chã das Caldeiras e o complexo educativo de Chã das Caldeiras.

No sector da Agricultura, o coordenador concelhio do MpD enumerou os trabalhos de equipamentos de cinco furos (Mosteiros e São Filipe), as redes de adução no âmbito do programa OSRO, recuperação de furo de Djeu de Pena (Ilhéu de Pina), construção de um reservatório metálico perto do aeroporto e a sua rede de adução para Achada São Filipe, de entre outros trabalhos para melhoria de rede de conduta para zona Sul.

“Fogo, actualmente, tem mais água na rede para a rega, com a excepção da localidade de Brandão e aumentamos mais 16 novas parcelas com sistemas de rega gota a gota e instalação de mais um novo viveiro”, fez saber Filipe Santos, que aconselha também os deputados da oposição a visitar as 317 famílias que foram beneficiadas no POSER com aviários e pintos, dezenas de pocilgas, de entre outras vertentes.

Para o coordenador concelhio do MpD, os jovens da ilha são prioridades deste Governo e das câmaras, indicando que o executivo irá financiar 500 jovens acções de formações e 500 estágios profissionais empresariais.

Para finalizar, disse que o Governo está a cumprir o que prometeu, indicando a modernização e iluminação do aeródromo de São Filipe, construção de cadeia de Betânia, modernização do porto de Vales Cavaleiros, a construção do arrastadouro da Baia do Corvo e posteriormente o porto, e com Chã das Caldeiras.

Leia ainda - Artigos mais recentes: