26 Junho 2022

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

São Filipe: Escolas de Patim e Pé de Monte serão ampliadas para receber alunos até 8º ano – delegado

  • PDF
Partilhar esta notícia
Actualizado a 23/12/2014, 13:57 São Filipe, 23 Dez (Inforpress) – As escolas do Ensino Básico Integrado (EBI) de Patim e Pé do Monte serão ampliadas para receber, nos próximos anos, alunos até 8º ano de escolaridade, disse hoje o delegado do Ministério da Educação e Desportos.   Luís Nunes, que falava no acto de inauguração das obras de reabilitação da escola de Cobom, disse que com o alargamento da escolaridade obrigatória até o 8º ano, a ideia é ter os pólos de Patim e de Pé de Monte a receberem alunos até este nível de ensino das suas respectivas áreas geográficas, a semelhança daquilo que acontece com Curral Grande na zona alta do norte do município de São Filipe. Para ter esta valência, a escola de Patim será ampliada na vertical com a construção de duas salas de aulas e a de Pé de Monte com mais uma sala, além de outros arranjos, projectos que deverão rondar os 20 mil contos. Apesar de ainda não dispor de financiamento, Luís Nunes disse que a estrutura do Ministério da Educação e Desportos em São Filipe está a trabalhar para que o pólo de Patim possa entrar em funcionamento a partir do ano lectivo 2015/16, ainda que a ampliação não seja efectivada, já que conforme explicou, esta escola dispõe de uma sala que não está sendo utilizada neste momento. Além da ampliação das duas escolas do EBI, a delegação do Ministério da Educação está a trabalhar num outro projecto e que visa a construção de raiz de uma escola na localidade de Jardim, cujos alunos são obrigados neste momento a percorrer mais de dois quilómetros para chegarem à escola. O aumento de número de alunos, segundo Luís Nunes, justifica a construção de uma escola na localidade de Jardim, das poucas comunidades do município que não dispõe de uma sala de aula. Quanto a escola de Cobom, nos subúrbios da cidade de São Filipe, reabilitada com recursos disponibilizados pela organização não-governamental Luxemburguês “Betebuerg Helleft”, o delegado disse que a mesma começa a funcionar no segundo trimestre e que os alunos do bairro que antes estudavam nas instalações do antigo anexo do liceu Teixeira de Sousa regressam à escola de origem. Para uma segunda fase, que se inicia em Janeiro, e no quadro do projecto financiado pela mesma organização, serão reabilitadas as escolas de Campanas de Cima, Ribeira Filipe, a mais profunda, e São Jorge, assim como a realização de uma acção de formação avançada para 140 professores do EBI, em novas tecnologias de informação. JR Inforpress/Fim
Leia ainda - Artigos mais recentes: