19 Março 2019

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Mil jovens da ilha do Fogo serão contemplados este ano com formação e estágio profissionais – Olavo Correia (c/áudio)

  • PDF
Partilhar esta notícia

São Filipe, 25 Jan (Inforpress) – O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, anunciou esta sexta-feira em São Filipe (ilha do Fogo) que mil jovens da ilha serão contemplados este ano com os programas de formação profissional e de estágio profissional.

O governante fez este anúncio durante o acto de apresentação das ofertas formativas para o ano de 2019 e dos estágios profissionais e oportunidades de financiamento, tendo afirmado na ocasião, que serão formados 500 jovens e outros 500 serão contemplados com o programa de estágios profissionais que vão ser implementados este ano.

“Todo o sistema está montado para que isso aconteça e vamos exigir das instituições que vão executar esses programas, para que no final do ano possamos atingir esta meta e ter mil jovens da ilha com formação profissional e aderindo ao programa de estágio profissional”, disse Olavo Correia.

Questionado se não se trata de uma meta ambiciosa, o Governante utilizou metáforas para responder à pergunta que lhe foi colocada afirmando que, “para avançarmos temos de sair de ATR para entrarmos num boeing (…). É necessário imprimir maior velocidade, e se continuarmos a voar nos ATR não chegaremos àquilo que é o objectivo”.

Conforme sublinhou Olavo Correia, o cabo-verdiano é um povo ambicioso e tem razão para o ser, mas é necessário trabalhar para transformar ambição em resultados concretos para as populações, sobretudo para os jovens, garantindo-lhes empregos bem renumerados, qualificados e decentes.

Para o vice-primeiro-ministro, o futuro de Cabo Verde está na educação e formação profissional e há que preparar a juventude cabo-verdiana para o futuro, educando-a com ensino obrigatório e gratuito até 12º ano de escolaridade, mas sobretudo formando-a para o mercado de trabalho nos mais variados domínios, como turismo, tecnologias, sector financeiro, transporte, telecomunicações, comércio, áreas onde o mercado precisa de jovens com qualidade, capazes de produzir para competir no mercado nacional e internacional.

Entretanto, Olavo Correia salientou que no quadro da apresentação das ofertas formativas para o ano de 2019, os estágios profissionais e as oportunidades de financiamento, o Orçamento do Estado para 2019 prevê-se quase um milhão de contos, observando que há um compromisso forte com recursos financeiros disponíveis em quantidade suficiente para permitir que este ano cinco mil jovens tenham formação e outros cinco mil sejam contemplados com programas de estágios, a nível nacional.

Por seu turno, o presidente do Conselho da Administração do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), Paulo Santos, disse que existem várias oportunidades e condições criadas no quadro do Orçamento do Estado que fez uma dotação significativa, na ordem dos 318 mil contos, para financiar formação profissional e estágios profissionais.

De acordo com este responsável, que realçou a campanha de valorização e divulgação das ofertas formativas, estágio profissional e oportunidades de financiamento para a juventude, a formação profissional, conforme disse, tem um impacto grande no emprego e os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) apontam que cerca de 60 a 70 por cento dos jovens que passaram pelos estágios profissionais conseguem inserção no mercado de trabalho.

Segundo o mesmo, com a dotação de um valor substancial o IEFP vai massificar o acesso a formação profissional para cinco mil e estágios profissionais para outros tantos, sendo que para 2019, através da rede de centros de formação profissional existentes nas ilhas de Santiago, Sal, São Vicente, Santo Antão e Fogo, serão desenvolvidas 204 acções de formação nas mais diversas áreas, desde agro-negócio, tecnologias de informação, economia verde e criativa, e com impacto na economia do país e na criação do emprego.

“Estamos nesta luta para valorizar a formação profissional para que ela deixe de ser o parente pobre do sistema”, afirma Paulo Santos.

No que se refere ao Centro de Formação Profissional do Fogo, que dispõe a partir de agora de um novo director, António Cardoso, para 2019 estão previstas cinco acções de formação que deverão iniciar pelas áreas de viticultura e enologia, em parceria com ASDE, serviços de cuidados, secretariado e apoio à direcção e 10 acções de formação contínua em áreas como medição e orçamento na construção civil, montagem e manutenção de instalações eléctricas, técnicas de transformação de produtos agroalimentares, de entre outras.

O Centro de Formação, no dizer do PCA do IEFP, precisa ser rentabilizada com mais acções, indicando que a ilha dispõe de uma excelente estrutura que tem de estar melhor aproveitada para que jovens possam ter acesso à formação.

Por outro lado, reconhece que o espaço necessita de alguma intervenção para a sua reabilitação, indicando que no Orçamento do Estado para 2019 o IEFP beneficia de um montante de 20 mil contos para reabilitação de três centros, o do Fogo, Variante e Residência de Santa Cruz.

Na sua intervenção, o ministro Olavo Correia estipulou um prazo de três meses para que o Centro de Formação de Ponta Verde, disponibilizado pela Associação Água Para Viver, esteja operacional.

O PCA do IEFP acredita que o mesmo estará operacional nesse período e que vai ser mais uma valência por ser um centro bem equipado na área de electricidade, canalização e em áreas que vão adicionar às do Centro de São Filipe e alargar as oportunidades de ofertas formativas.

JR/FP

Inforpress/Fim

 

 

Leia ainda - Artigos mais recentes: