24 Abril 2019

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Fogo: Hospital Regional promove consultas descentralizadas com especialistas de St. Paul Medical Services

  • PDF
Partilhar esta notícia

São Filipe, 21 Jan (Inforpress) – O hospital regional “São Francisco de Assis”, na ilha do Fogo promove, esta semana, duas consultas descentralizadas envolvendo os nove especialistas egípcios do St. Paul Medical Services que esta segunda-feira começaram a atender os pacientes.

O director do hospital, Evandro Monteiro, avançou à Inforpress que na quarta-feira, 23, e no quadro do seguimento das actividades do grupo e do plano do hospital em descentralizar os serviços junto das comunidades, vai promover em articulação com o centro de saúde de Cova Figueira, um intercâmbio na localidade de Estancia Roque.

A escolha de Estancia Roque se deve ao facto de ser uma localidade “um pouco isolada”, com necessidades iguais às outras, mas de difícil acesso a médico e a especialistas, sendo que esta é a segunda abordagem do género no município de Santa Catarina, envolvendo especialistas egípcios.

Além dos especialistas egípcios, Evandro Monteiro disse que esta actividade vai envolver também técnicos do hospital, nomeadamente dos serviços de laboratório, psicologia e de nutrição para que seja mais abrangente possível.

Uma actividade do género será promovida na sexta-feira, 25, no bairro de Beltches com finalidade de descentralizar e aproximar o serviço hospitalar à comunidade de uma forma periódica, promovendo uma abordagem mais humana e mais física entre os técnicos de saúde e os pacientes.

“Queremos levar acções do género não só aos bairros de São Filipe como às outras localidades, para divulgar informações sobre aquilo que é a saúde, trabalhar e promover a saúde, para numa segunda fase melhorar a atenção domiciliária, porque há pessoas que lavam para casa os medicamentos prescritos, mas não os tomam, por desleixo ou por outra razão, e semanas depois regressam ao hospital com os mesmos problemas”, disse Evandro Monteiro.

Concernente à vinda dos profissionais voluntários do St. Paul Medical Services, uma organização internacional de caridade fundada pela Igreja Copta Ortodoxa com finalidade de prestar cuidados médicos e medicamentos às comunidades carentes, explicou que se inscreve no âmbito do protocolo existente entre esta organização e o hospital regional.

Conforme sublinhou, esta parceria representa uma mais-valia por constituir uma forma de ter à disposição especialidades muito difíceis de se conseguir em Cabo Verde, como é o caso de cirurgia vascular, lembrando que na região existem muitas patologias que precisam de uma abordagem do tipo.

De entre as patologias que necessitam de cirurgia vascular apontou como exemplo os casos de varizes, feridas, úlceras, insuficiências arteriosas, observando que existe um número significativo de situações e que todos precisam de uma abordagem cirúrgica, não só médica como profilática.

Nesta primeira fase da vinda do cirurgião vascular, o enfoque vai para o estudo da problemática dessas patologias junto dos pacientes identificados e outros que podem ser encontrados nas comunidades para se conhecer a situação e, numa segunda fase, criar as condições para abordar o problema com intervenções cirúrgicas.

Além do cirurgião vascular, o grupo é constituído por nove especialistas, de entre médicos, farmacêuticos e especialistas (cirurgias geral e vascular, dentista, farmacêuticas, anestesista e cardiologista).

De acordo com a programação já definida, o cardiologista e o dentista seguem na noite desta  segunda-feira para a ilha Brava onde durante três dias vão atender pacientes com necessidades.

Evandro Monteiro, explicou, no entanto, que os pacientes observados pelo cardiologista, caso tiverem necessidade de exames posteriores, serão encaminhados para o hospital regional em São Filipe e se necessitarem também de tratamentos ulteriores serão enviados para o hospital central.

No que se refere à área de estomatologia em que há alguns pacientes na lista de espera na ilha Brava, além da deslocação do técnico no quadro da parceria com a Delegacia de Saúde e no âmbito da Região Sanitária e do Ministério da Saúde, está planificado o envio de uma cadeira estomatológica para Brava e depois, sucessivamente, levar o serviço para aquela ilha.

JR/FP

Inforpress/Fim

 

Leia ainda - Artigos mais recentes: