25 Maio 2019

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Neusa de Pina dá vida às suas experiências e histórias vividas com lançamento do CD “Badia di Fogo”

  • PDF
Partilhar esta notícia

Cidade da Praia, 29 Dez (Inforpress) – A cantora Neuza de Pina já tem lançado nas plataformas digitais o seu mais recente trabalho “Badia di Fogo”, um disco que segundo revelou, reflecte a sua infância e histórias que marcaram sua vida.

Em conversa hoje com a Inforpress, Neusa de Pina começou por explicar que “Badia di Fogo” é uma música de sua autoria e que a escolha do título foi motivada pela forte recordação da sua infância e pela vontade de homenagear a memória da mãe.

“Nasci na Praia e quando era pequena a minha mãe estava no leito da morte e entregou-me aos cuidados da minha madrinha. Quando ia à escola e, como falava um crioulo fundo, da ilha do Fogo, os colegas troçavam de mim chamando-me “sampadjuda”, “barriga batata”, “coração de barata” e “badia de Fogo” e ficava chateada porque tomava isso como um desprezo”, contou.

Questionada afinal quem é verdadeiramente Neusa de Pina, a artista respondeu que, apesar de ter nascido na Praia, cidade pela qual é apaixonada, sente uma ligação “fora do normal” com a ilha do Fogo.

“Sou da Praia, menina de Santiago, mas o meu coração e sangue são do Fogo. Quando estou na ilha do vulcão sinto-me em casa e mais perto da minha mãe”, revelou, acrescentando que o titulo é reflexo de uma filha do Fogo que nasceu no outro lugar do arquipélago.

Depois de em 2017 ter vencido o programa de entretenimento “Casa do Líder”, Neuza foi mãe e manteve-se um pouco afastada dos palcos, tendo, entretanto, este ano lançado “Culanfuntun” e agora brinda seus fãs com “Badia di Fogo”, cuja apresentação em Cabo Verde deverá acontecer no primeiro trimestre de 2019 e, seguidamente, levará o disco aos palcos de Angola, Itália e Estados Unidos.

O CD, conforme avançou, contém 10 faixas, sendo nove músicas inéditas, quatro de sua autoria e uma já gravada por Ramiro Mendes, os arranjos musicais estiveram a cargo do  Kaku Alves e conta com a participação de artistas como Michel Montrond, Kaly e Totinho.

As espectativas relativamente a esse trabalho, de acordo com Neusa de Pina, são altas uma vez que neste disco está a estrear-se como compositora de “Badia di Fogo” e traz temas como “Izilda”, “Badia di Fogo “Nha dono” e “Armanda”, que conforme elucidou, são histórias transformadas em arte e que todos perceberão melhor quando ouvirem o CD.

Considerando-se amante da música tradicional cabo-verdiana, no geral, e da ilha do Fogo, em especial, o segundo CD, afirmou, é um trabalho que foi feito com muito esforço e dedicação e revela uma Neusa “artista mais madura e segura de si e das suas ambições”.

“Este trabalho traduz mais a minha maturidade no campo da música. Comparativamente ao primeiro CD, sinto-me mais confiante, segura daquilo que quero e com os pés bem assentes no chão e cada vez mais tenho a certeza que a minha paixão e o meu lugar é no mundo da musica tradicional”, afirmou, mostrando-se optimista que “Badia di Fogo” será bem aceite pelo público.

Neusa de Pina nasceu a 10 de Novembro de 1985 na cidade da Praia, ilha de Santiago. Aos 24 anos, a trabalhar num restaurante local, despertou o interesse de colegas e de quantos a escutavam, insistindo que usasse o microfone e cantasse para o público.

Em 2013, lançou o seu primeiro trabalho “Flôr de Bila”, que teve sucesso no país e na diáspora e revelou os segredos dos ritmos da ilha do Fogo, como “talaia baxo”, o “rabolo” ou o “samba”.
CM/CP

Inforpress/Fim

Gostar disto:

GostoCarregando...

Leia ainda - Artigos mais recentes: