17 Dezembro 2018

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

“Project Health for Cape Verde” vai expandir a sua missão para as ilhas do Fogo e Brava (c/áudio)

  • PDF
Partilhar esta notícia

Cidade da Praia, 30 Nov (Inforpress) – Um grupo de médicos dos Estados Unidos, que integram o “Project Health for Cape Verde”, querem expandir a sua missão para as ilhas do Fogo e Brava, a partir de 2019, e ainda apostar em acções de formação.

A informação foi avançada hoje à imprensa pelo porta-voz do grupo, João Moreno Tavares, após um encontro que esses médicos mantiveram com o Presidente da República em substituição, Jorge Santos, com vista a dar-lhe a conhecer os objectivos do projecto.

Com mais de dez anos de actuação na ilha de Santiago, nomeadamente no Hospital Santa Rita Viera, em Santa Catarina, e no Hospital Agostinho Neto, na Praia, este ano, o grupo, a pedido de alguns membros, deslocou-se para as ilhas do Fogo e Brava com vista a incitar contactos ligados na área da saúde.

Conforme esse especialista em doenças infecciosas, um dos “grandes problemas” da missão é encontrar pontos focais nas ilhas, pois os médicos dos Estados Unidos antes de se deslocarem para Cabo Verde precisam estar preparados, conhecendo o diagnóstico de cada doente antes de realizarem qualquer intervenção.

Neste sentido, assegurou que na ilha do Fogo já há disponibilidade de um médico, o cirurgião Evandro Monteiro, que vai preparar os doentes para que a partir do mês de Maio do próximo ano, os médicos possam iniciar a intervenção.

Ba ilha da Brava uma das primeiras intervenções, avançou, será o melhoramento das infra-estruturas, nomeadamente mais meios de diagnósticos, como o electrocardiograma, ultra-som e RX.

Para além de prestar serviços aos utentes nesses hospitais, a missão pretende alargar a sua área de actuação, apostando em acções de formação para técnicos de saúde cabo-verdianos, com vista a colmatar o défice de falta de especialista no país.

Neste momento integram a missão, especialista de urologia, uro ginecologia, cirurgiã geral, pediatra e gastroenterologia.

Entretanto, segundo Carla Melo, uma das fundadoras do projecto, muitos outros médicos de origem cabo-verdiano e americano têm interesse em integrar esta missão, mas nem sempre é possível trazer todos, porque ainda há cirurgias que não são feitas em Cabo Verde, como as cardiovasculares.

Por sua vez, o Presidente da República substituto, Jorge Santos, considerou que, sendo um dos “grandes desafios” do País a questão das emergências médicas e das evacuações, este projecto vai ajudar as estruturas de saúde, criando as condições nas próprias ilhas, não só de imagiologia, mas também de condições de diagnóstico de intervenção, evitando assim as evacuações de emergências.

Jorge Santos, que é presidente da Assembleia Nacional, mas que neste momento está a substituir Jorge Carlos Fonseca, disse que outro aspecto que Cabo Verde deve aproveitar deste projecto é a formação.

Durante o encontro com os médicos, Jorge Santos disse que ficou o compromisso de se relançar a relação de cooperação entre Cabo Verde e a Brown University, visto que esses médicos estão disponíveis em juntar a sua sabedoria e os meios dos hospitais e das universidades que trabalham para colocar à disposição de Cabo Verde.

Assim como em todas as missões, este ano o “Project Health for Cape Verde” trouxe um contentor de 20 pés com equipamentos e materiais hospitalares, que serão distribuídos aos hospitais do país, dependendo da necessidade de cada um.
AM/AA

Inforpress/Fim

Gostar disto:

GostoCarregando...

Leia ainda - Artigos mais recentes: