17 Dezembro 2018

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Fogo: Projectos implementados pela COSPE promovem em Dezembro workshop para elaborar planos de actividades

  • PDF
Partilhar esta notícia

São Filipe, 23 Nov (Inforpress) – Os projectos FATA e Rotas do Fogo, ligados ao sector do turismo e implementados pela Organização não-governamental italiana (ONG) COSPE, promovem na primeira quinzena de Dezembro um workshop para elaborar os planos de actividades para 2019.

Segundo uma nota de imprensa do escritório da ONG em São Filipe, o workshop de dois dias (13 e 14 de Dezembro) visa elaborar o plano de actividades dos dois projectos para o ano de 2019, sendo que o evento irá contar com a participação do gestor do Fundo de Turismo, Manuel Ribeiro, representantes dos Ministérios da Agricultura e do Turismo e Transporte, assim como os parceiros e os representantes dos beneficiários dos projectos.

No decorrer do workshop serão apresentadas as actividades a serem realizadas ao longo de 2019 e com a participação de todos poder organizar, revisar e, se for necessário, modificar as actividades previstas inicialmente, sendo que o workshop terá momentos de trabalhos em grupos e sessões em plenária, na perspectiva de que a experiência da ONG possa dar os seus frutos e, sobretudo, contribuir para a aproximação entre a sociedade civil e as instituições locais e centrais.

O projecto FATA implementado pela organização não-governamental italiana (ONG) COSPE, celebra na próxima sexta-feira em Chã das Caldeiras um protocolo de parceria com o Fundo do Turismo, à margem da nona mesa de diálogo.

O projecto “Fogo, Água, Terra, Ar” (FATA), que tem como finalidade contribuir para o desenvolvimento do eco-turismo sustentável e solidário e valorização do património cultural/social/ambiental, e o projecto “Rotas do Fogo: modelo do agro-turismo como reforço das organizações locais do turismo rural e sustentável na ilha do Fogo” são implementados pela COSPE.

O FATA conta com um orçamento de 576 mil euros, mais de 63 mil contos cabo-verdianos, dos quais a União Europeia entra com 75 por cento (%), mais de 432 mil euros e os promotores em conjunto com 25%, e o “Rotas do Fogo” tem um orçamento global de 553.430 euros dos quais 498 mil euros é a contribuição da União Europeia e a parte restante dos demais parceiros e instituições envolvidas.

JR/ZS

Inforpress/Fim

Gostar disto:

GostoCarregando...

Leia ainda - Artigos mais recentes: