14 Novembro 2018

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Ilha do Fogo: Ministério da Agricultura celebra contrato com Associação de Cabeça Fundão

  • PDF
Partilhar esta notícia

São Filipe, 29 Out (Inforpress) – O Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) através da sua delegação, celebrou no final da semana um contrato com Associação de Cabeça Fundão, para recuperação de duas nascentes e melhoria do viveiro de produção de plantas endémicas.

O valor a ser disponibilizado no quadro do contrato programa é de pouco mais de 1800 contos, mas a Associação Desenvolvimento Comunitário Montado Nacional “Cabeça Fundão”, segundo o presidente da direcção Nicolau Centeio, que assinalou o documento, entrará com um valor estimado em cerca de 500 contos para a sensibilização da população através de realização de palestras e outras acções.

A recuperação de duas nascentes localizadas na Bordeira, nomeadamente a “Fonte Cabalo” e Boa Entrada, e adução de água para a localidade de Cabeça Fundão, numa extensão de aproximadamente dois quilómetros.

A água das nascentes destinam-se em primeiro lugar a produção de plantas endémicas no viveiro situado próximo das duas nascentes e depois do reservatório com capacidade para 20 metros cúbicos estiver cheio a água será liberada para a zona baixa para a população e para os animais.

Além da recuperação das nascentes o contrato prevê a produção de sete mil e quinhentas plantas endémicas para a reflorestação das áreas degradadas do Parque Natural do Fogo (PNF) com destaque para a Língua Vaca “Echium vulcanorun”.

Os trabalhos devem iniciar-se dentro de uma semana, após o desbloqueio da primeira tranche do financiamento do contrato programa, sendo que 961 contos, destina-se a recuperação das nascentes e adução de água e 885 para produção de 7.500 plantas endémicas, incluindo abertura de covas e a sua fixação.

A Associação de Desenvolvimento Comunitária Montado Nacional “Cabeça Fundão” foi fundada em 1996 e conta actualmente com 40 membros, sendo 15 mulheres e 25 homens, tendo ao longo da sua existência, em parceria com o Parque Natural do Fogo, produziu e fixou cerca de 50 mil plantas endémicas de diversas espécies, no quadro dos projectos de Protecção dos Recursos Naturais do Fogo (PRNF), GEF-SGP e outros projectos do MAA.

Recentemente assinou um contrato programa com o MAA, no âmbito do Projecto de Promoção das Oportunidades Socioeconómicas Rurais-Clima (Poser), para actividades de conservação de solo e água.

Com implementação das acções prevista no quadro do contrato programa a Associação vai aproveitar anualmente perto de 200 metros cúbicos de água que permitirá produzir mais de 20 mil pés de plantas endémicas, sendo que a reabilitação das nascentes e a melhoria do viveiro permitirá conservar e reabilitar as infra-estruturas, consideradas de extrema importância na produção das plantas, aumentando anualmente o número de espécies endémicas na Bordeira.

Além da Associação de Cabeça Fundão, o projecto de conservação das tartarugas e aves marinhas, Projecto Victó, foi contemplado com o financiamento e celebrou um contrato programa, mas os responsáveis prometeram dar mais pormenores nos próximos dias.

JR

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: