21 Janeiro 2019

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

São Filipe/Autárquicas/Balanço: Estamos satisfeitos mas em outras condições podíamos fazer muito mais – Jorge Nogueira (c/áudio)

  • PDF
Partilhar esta notícia

São Filipe, 19 Set (Inforpress) – O edil de São Filipe, Jorge Nogueira, está satisfeito com o desempenho da governação da sua equipa na Câmara Municipal de São Filipe, ilha do Fogo, reconhecendo que “em outras condições podia fazer muito mais” nestes dois anos.

Para o edil, a falta de recursos humanos e de um gabinete técnico melhor apetrechado com recursos materiais e, sobretudo, humanos, não contribuíram para que toda a planificação fosse executada.

Jorge Nogueira indicou que quando assumiu as rédeas da edilidade foi necessário analisar a situação do município e fazer uma replanificação daquilo que tinha planificado realizar porque havia muito por fazer num município que sempre foi gerido por uma única força política desde as primeiras eleições autárquicas.

“Era necessário adaptá-lo a uma nova forma de gestão. Havia muita desorganização, melhoramos os serviços administrativos com introdução de um conjunto de medidas como a formação do pessoal, a modernização dos serviços com introdução do balcão único porque era um serviço antiquado que obrigava os munícipes a permanecer várias horas para serem atendidos”, disse Nogueira.

Acrescentou ainda que o sistema informático foi modernizado e adaptado à situação actual, assim como a introdução de medidas para atendimento e de atribuição de apoios sociais.

No campo de realizações, a sua equipa, no âmbito social, explicou, privilegiou o sector de habitação social porque o parque habitacional estava degradado, observando que ao invés de apoios pontuais para intervenção, a câmara passou a dirigir e a fiscalizar os trabalhos e nos dois anos conseguiu reabilitar 29 habitações de raiz e intervenções em mais de 60, tendo neste momento mais 30 reabilitações identificadas para serem contempladas.

Além da habitação, deu-se “atenção especial” aos apoios médicos e medicamentosos, tendo a edilidade celebrado três protocolos com associações médicas estrangeiras (St Paul, duas italianas e uma outra espanhola), em que a câmara assume a estadia dos especialistas e em alguns casos suporta o financiamento dos descartáveis para as cirurgias, isto além das despesas com transferências de doentes que, no dizer de Nogueira, são “enormes”.

O abastecimento de água, sobretudo a noroeste, a criação de emprego público para fazer face ao impacto do mau ano agrícola, desenvolvimento económico em que se definiu três sectores como prioridades das prioridades (turismo, fruticultura e agro-indústria) com varias acções prestes a serem iniciadas também mereceram a atenção da equipa camarária.

A nível de educação, o edil de São Filipe disse que a sua edilidade é a que mais investe neste sector, quer em transporte escolar como na atribuição de subsídios para formação superior e profissional, assim como na criação de condições propícias para receber estudantes para estágios profissionais e curriculares, além do programa de reabilitação e requalificação do parque escolar, que faz de São Filipe o município com o melhor parque escolar de Cabo Verde.

A nível do desporto destacou a transformação, ampliação, requalificação do campo de São Lourenço, que passou a ter relva sintética, e projectos para o arranque nos próximos dias das placas desportivas de Beltches (cidade) e Jardim (sul), os trabalhos introduzidos nas placas de Monte Largo e de Santo António.

A aquisição de quatro pisos modernos para requalificar os polivalentes de Congresso, São Jorge, Patim e de Lomba, a melhoria para breve do Campo de Lém de Cima (Outubro) e o projecto de requalificação do estádio 5 de Julho cujas obras devem arrancar ainda este ano são outras das realizações elencadas.

A construção de estradas de penetração de Monte Grande, Velho Manuel, Cutelo Capado Baixo, São Braz, Fontinha/Roqueira são intervenções do domínio da rede viária, indica o autarca que admite que no sector do saneamento existe “grande preocupação” devido à situação da lixeira, que “é algo de extrema gravidade” e onde “a equipa teve menor desempenho”.

A construção de um aterro para as três câmaras municipais da ilha do Fogo, o financiamento do Governo para a realização dos estudos da rede de esgotos da cidade de São Filipe para depois mobilizar financiamento para a sua implementação são questões em agenda, revelou.

Para o resto do mandato, Nogueira espera aprofundar e continuar os projectos, como a praça de Cruz dos Passos, a grande pedonal na orla marítima entre Fonte Bila (Boca Lapa) e praia de Nossa Senhora da Encarnação, colocação de relva nos campos de Patim e Ponta Verde, desenvolvimento do projecto de fruticultura em parceria com o Ministério da Agricultura, polidesportivo, de entre outros.

Este disse que vai dar continuidade às acções programadas para o mandato e dentro de dois anos São Filipe será diferente, observando que espera ter realizado todos os projectos constantes da plataforma, quer as infra-estruturas desportivas como as económicas, e mesmo a construção do polidesportivo que ainda não tem financiamento e que, assegurou, se não for concluído estará em obras.

Quando assumiu a câmara de São Filipe, Jorge Nogueira afirmara que não seria candidato a um segundo mandato, e questionado se depois de dois anos teria mudado de opinião, o edil respondeu: “não era minha intenção e apesar de as coisas estarem já a caminho ainda não é minha intenção a recandidatura”.

Jorge Nogueira tomou posse como presidente da Câmara Municipal de São Filipe, na ilha do Fogo, a 28 de Setembro de 2016.

JR/ZS

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: