21 Maio 2019

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Ilha do Fogo: Ministro da Indústria, Comércio e Energia visita a ilha com questão da produção de inertes na agenda

  • PDF
Partilhar esta notícia

São Filipe, 20 Set (Inforpress) – O ministro da Indústria, Comércio e Energia, Alexandre Monteiro, inicia, hoje, uma visita de dois dias à ilha do Fogo, com o problema de produção de inertes para a construção civil na lista das preocupações.

Assim, depois de um encontro com o edil de São Filipe, Jorge Nogueira, o titular da pasta da Indústria, Comércio e Energia tem agendado uma deslocação às praias de Fonte Bila e de Nossa Senhora da Encarnação onde se faz a extracção de inertes apesar das contestações dos ambientalistas e dos banhistas, para inteirar-se da situação, assim como uma passagem pela lixeira municipal a céu aberto que funciona a menos de 300 metros do hospital regional e de uma unidade hoteleira.

A Inforpress sabe que já há algum tempo que um empresário instalado na ilha do Fogo tem um projecto para produção de inertes na zona sul de São Filipe para o sector de construção civil e que aguarda o posicionamento das autoridades nacionais sobre o licenciamento dessa actividade económica.

No segundo dia da visita, Alexandre Monteiro tem programado deslocações aos municípios dos Mosteiros onde tem agendado visita à empresa Fogo Coffee Spirit, adega Sodade, às zonas altas dos Mosteiros e Chã das Caldeiras, nomeadamente adega Chã, além de encontros com os autarcas Carlos Fernandinho Teixeira e Alberto Nunes.

Para o último dia da visita à ilha, Alexandre Monteiro desloca-se ao perímetro irrigado de Monte Genebra, para inteirar-se do parque fotovoltaico instalado em 2014, mas que nunca chegou a funcionar, assim como do projecto de fruticultura “Fruti-Fogo” que o município de São Filipe pretende dinamizar e contemplar entre 200 a 250 famílias no futuro.

Igualmente o titular da pasta da Indústria, Comércio e Energia vai visitar o centro de certificação e embalagem de produtos (Centro Pós-Colheita) de Monte Barro, uma instalação inaugurada há mais de quatro anos e que nunca chegou a funcionar, estando a necessitar de algumas intervenções.

JR/ZS

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: