25 Maio 2019

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Ilha do Fogo: Plano de salvaguarda do Centro Histórico fica concluído este mês e será submetido à Assembleia em Outubro para aprovação

  • PDF
Partilhar esta notícia

São Filipe, 16 Set (Inforpress) – O plano de salvaguarda do Centro Histórico da cidade de São Filipe, uma necessidade que se impunha há muito, está ultrapassado prevendo-se a sua conclusão para final de Setembro e apresentação em Outubro à Assembleia Municipal para aprovação.

Em entrevista à Inforpress, o edil Jorge Nogueira disse que todo o trabalho já foi realizado, nomeadamente o levantamento, catalogação e inventário, estando apenas a aguardar a entrega do plano pela equipa do Instituto do Património Cultural para avançar com a sua aprovação e execução das acções.

A elaboração do plano de salvaguarda do Centro Histórico, segundo Jorge Nogueira, enquadra-se no pilar do desenvolvimento do turismo, o sector que juntamente com o desenvolvimento de fruticultura e agro-indústria constituem as prioridades para o desenvolvimento económico do município.

Este disse que com os apoios do Instituto do Património Cultural, a edilidade já dispõe de algumas medidas que vão ser implementadas a partir de Outubro para reabilitação do Centro Histórico com intervenção nos pisos, passeios e praças, devendo iniciar as obras junto da antiga cadeia, que terá uma praça, denominada “praça das bandeiras” em homenagem às bandeiras.

Além disso indicou que a edilidade dispõe de outros projectos de requalificação ambiental, como a da praia de Fonte Bila, que se estende desde Boca Lapa até a praia de Nossa Senhora da Encarnação com passeio pedonal marginal que vai atrair os investidores do sector turístico a investir na construção de esplanadas, bares e restaurantes na orla marítima, passando até por uma piscina de água salgada, de entre outros.

A nível de saneamento do meio, o edil reconhece que constitui um grande problema devido à situação da lixeira que é algo de “extrema gravidade”, indicando que a sua equipa “está sob pressão, porque todo o terreno foi vendido e não se cuidou de ter uma nova lixeira”, sublinhando que já tem identificado um espaço para a nova lixeira e espera-se a chegada do novo carro para a recolha do lixo.

“O trabalho de maior profundidade tem a ver com a retirada de todo o lixo enterrado, um custo enorme para retirar centenas de toneladas de lixo”, afirmou Jorge Nogueira, indicando que o projecto maior está a ser tratado entre as três câmaras e o Governo e passa por um aterro sanitário.

Para a cidade de São Filipe, Nogueira disse que em termos de rede de esgotos, a situação vai começar a ser resolvida com a realização de estudos, a serem financiados pelo Governo, já que a cidade de São Filipe não dispõe ainda de rede de esgotos e nem de um projecto para tal.

Outro projecto que a edilidade está a desenvolver passa pela substituição da espécie arbórea da cidade, com a retirada das árvores daninhas cujas raízes penetram nos passeios, piso das estradas e nas casas, e colocação de novas espécies.

Segundo o edil, a autarquia já tem parte do financiamento e conta, na altura da realização dos trabalhos nos pisos e passeios do centro histórico, proceder em simultâneo à substituição das espécies.

JR/ZS

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: