16 Novembro 2018

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Ilha do Fogo: Campanha para apoiar famílias vulneráveis ficou muito aquém do esperado – Afosol

  • PDF
Partilhar esta notícia

São Filipe, 13 Set (Inforpress) – A Associação Fogo Solidário (Afosol) considerou hoje que a campanha de solidariedade para a mobilização de perto de três mil contos para apoiar 632 famílias vulneráveis da ilha do Fogo ficou “muito aquém do esperado”.

Ao fazer o balanço a meio percurso da campanha, lançada em Maio deste ano, na sequência do mau ano agrícola registado em 2017, o presidente do conselho directivo da Afosol, Eugénio Veiga, disse que contactos foram estabelecidos e resultou na abertura de uma conta bancária nos Estados Unidos.

O responsável regozija-se com a solidariedade e generosidade norte-americanos, que através da sua Embaixada em Cabo Verde, contribuíram com quatro mil dólares (360 mil escudos), e cujo contrato será firmado em qualquer altura entre a associação e a Embaixada.

Além da contribuição da Embaixada, uma família luso-cabo-verdiana (família Bernardo Rosário) contribui com pouco mais de 100 mil escudos, valor que foi transferido para a conta da Afosol e de cerca de duas dezenas de famílias da ilha do Fogo residentes nos Estados Unidos que, em conjunto, contribuíram com 1380 dólares, tendo sido transferida a quantia de cerca de 100 contos, correspondente a 1080 dólares.

Ao todo, a contribuição arrecada até este momento, segundo o responsável do Afosol, é de pouco mais de 500 contos, cerca de 20 por cento (%) do valor global orçamento que era de cerca três mil contos.

No entanto, Eugénio Veiga observou que “há outras instituições e pessoas singulares que aceitaram abraçar esta causa de solidariedade e que deverão estar a diligenciar na perspectiva da sua concretização”.

Lembrou que a 29 de Agosto último, na reunião camarária de São Filipe, o presidente da Afosol lançou um repto às câmaras municipais do Fogo, por intermédio do edil sanfilipense, com vista a coparticipação nesta iniciativa nos montantes de 250, 180 e 100 mil escudos para São Filipe, Mosteiros e Santa Catarina, respectivamente, mas até então sem qualquer reação.

Eugénio Veiga mostrou-se triste com a não participação de instituições nacionais e pessoas singulares residentes na ilha do Fogo e no país, observando tratar-se de uma situação já grave devido a existência de muitas fundações e políticos e se cada um tivesse comparticipado poderia arrecadar montantes mais expressivos e a intervenção seria muito mais alargada.

“A prioridade consiste na realização imediata de seguintes acções: iniciativa emergencial de salvamento de gado cobrindo as localidades mais críticas, pelo menos nos próximos 20 dias, em São Filipe e Santa Catarina, ligações domiciliárias de água a 30 famílias de São Filipe e Mosteiros, e fornecimento pontual de cestas básicas a famílias numerosas e com dificuldades”, salientou.

Segundo Eugénio Veiga, a partir desta quinta-feira a Afosol vai proceder a distribuição de rações nas localidades situadas entre Patim e Fonte Aleixo Sul, contemplando os criadores com mais dificuldades, num valor real de mais de 200 mil escudos, entre 90 a 100 sacos de rações.

A campanha de solidariedade vai continuar porque haverá sempre pessoas carenciadas e que necessitam de solidariedade, disse o presidente do conselho directivo da Afosol.

JR/CP

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: