21 Setembro 2018

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Fogo: Escola Materna com nova cara

... Veja o vídeo
Sábado, 01 Setembro 2018 22:45

Klav Kriolu - Fogo Fogo N' Bem de fora

... Veja o vídeo
Sábado, 01 Setembro 2018 20:15

Integração dos imigrantes: “Tem de haver correspondência do lado dos que chegam a Cabo Verde” – Pedro Pires

  • PDF
Partilhar esta notícia

Cidade da Praia, 06 Jul (Inforpress) – O ex-Presidente cabo-verdiano defendeu que a questão da integração dos imigrantes é uma “preocupação permanente” de qualquer estado e que sua concretização só será possível se houver correspondência por parte das pessoas que escolheram o arquipélago para residir.

Em declarações à Inforpress, Pedro Pires afirmou que Cabo Verde tem de trabalhar bem a questão da promoção da integração dos imigrantes visando facilitar a comunicação entre os cabo-verdianos e os imigrantes no sentido de evitar que se “criem guetos” no país.

“Temos de evitar que se criem comunidades fechadas porque isso pode gerar todos os tipos de solidariedade. Cabo Verde tem de fazer a sua parte, mas deve haver correspondência do outro lado que se deve abrir e adaptar-se à realidade porque só juntos é que vencemos”, salientou.

Entretanto, o antigo chefe de Estado cabo-verdiano sublinhou que é necessário que haja condições para uma boa integração dos imigrantes, principalmente os residentes da costa africana, que no seu entender, também contribuem no desenvolvimento de Cabo Verde.

Abordando a questão das relações entre Cabo Verde e a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental(CEDEAO), Pedro Pires afirmou que a integração de Cabo Verde na CEDEAO “não é responsabilidade exclusiva de Cabo Verde”, afirmando, neste sentido, que deve haver uma “corresponsabilidade”.

“No que se refere à CEDEAO, acho que deve haver um diálogo com os outros membros dessa comunidade para que haja um relacionamento que permita a integração económica cultura e social, eles também devem procurar conhecer Cabo Verde”, defendeu, sublinhando, por outro lado, que Cabo Verde deve procurar conhecer melhor a realidade e a economia da CEDEAO.

No entender do ex-Presidente, a integração é uma questão que ultrapassa o político, afirmando que isto tem de ser também matéria de preocupação da sociedade civil das instituições e universidades cabo-verdianas.

Apontou, por outro lado que a aposta no sector da educação é uma ferramenta fundamental para a consolidação dos laços com os países membros da referida comunidade.

“A aposta na educação é muito importante no reforço dos laços de cooperação com a CEDEAO criando um projecto escolar que facilite a circulação de estudantes dos outros países africanos no arquipélago”, disse, acrescentou ainda que o reforço no sistema de ensino das línguas estrangeiras é extremamente importante para facilitar a comunicação.

CM/ZS

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: