16 Novembro 2018

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Primeiro-ministro diz que programa de emergência e mitigação de mau ano agrícola está bem implementado no Fogo

  • PDF
Partilhar esta notícia

São Filipe, 22 jun (Inforpress) – O programa de emergência para a mitigação dos efeitos da seca e do mau ano agrícola a nível da ilha do Fogo está sendo bem implementado, garantiu hoje o primeiro-ministro

Ulisses Correia e Silva fez esta constatação depois de visitar algumas obras em curso nos municípios de São Filipe e dos Mosteiros, visando a criação de emprego público, tendo realçado que os trabalhos empregam maioritariamente mulheres – muitas das quais chefiam grupos de trabalho -, fazendo com que o rendimento possa beneficiar as famílias no momento em que se conhecem os efeitos do mau ano agrícola.

De acordo com o primeiro-ministro, está-se a viver os efeitos da pior seca dos últimos 36 anos e que o combate que está a ser dado é meritório não só pela reposição de rendimentos, por via de emprego público, mas também todo o trabalho a nível de salvamento de gado e a criação de condições para se ter ração para sobreviver e manter uma actividade produtiva que é muito importante.

Além desses aspectos, Ulisses Correia e Silva destacou os investimentos no sector de abastecimento de agua, notando que para a ilha existe um investimento de cerca de 150 mil contos, os quais, segundo observou, não visam apenas fazer face ao mau ano agrícola, mas introduzir também a resiliência de modo a que nos próximos anos se possa ter uma situação mais favorável de abastecimento de água, principalmente para a rega e para o embeberamento dos animais nesta ilha.

O governante destacou ainda todo o trabalho de reabilitação de cisternas, muitas das quais construídas no âmbito do programa MCA, sendo que algumas estão assoreadas e há necessidade de se fazer uma intervenção para ter boas condições de captação e abastecimento de agua.

Em São Filipe, Ulisses Correia e Silva visitou obras na zona alta de Ponta Verde (norte), Forno e Luzia Nunes (sul) e nos Mosteiros as obras na zona de Relva e a requalificação da pedonal e da orla marítima na cidade de Igreja e com uma passagem pelo troço de estrada de Sumbango, que se encontra intransitável há uma semana, na sequência de desabamento de rochas.

JR/FP

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: