19 Julho 2018

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Ilha do Fogo: Chã é uma jóia de Cabo Verde e é preciso valorizá-la – ministra das Infra-estruturas

  • PDF
Partilhar esta notícia

São Filipe, 23 jun (Inforpress) – A localidade de Chã das Caldeiras é uma jóia de Cabo Verde e não apenas um produto das gentes do Fogo, mas é necessário valorizá-la, o que implica a colaboração de todos, disse a ministra Eunice Silva.

A titular da pasta das Infra-estruturas, que sexta-feira participou na cerimónia de consignação das obras de construção da estrada Cova Tina/Portela/Bangaeira, alertou a comunidade para o facto de ser imperioso respeitar o plano estabelecido para Chã das Caldeiras.

Para que a localidade possa vir a ser reconhecida, há que se fazer tudo de forma correcta, acrescentou, nem que para isso as pessoas tenham de ser fiscais umas das outras, seguindo e fazendo seguir o que está planeado.

“O projecto está pronto, aprovado pela Assembleia Municipal e publicado no Boletim Oficial (BO) e é para cumprir”, disse a responsável governamental pelo sector das Infra-estruturas, indicando que, neste momento de execução do plano, o Governo disponibiliza assistência técnica permanente através de um gabinete situado em Chã das Caldeiras para apoiar a implementação do plano.

Para Eunice Silva, a população tem os instrumentos nas mãos, o plano detalhado e a assistência técnica, e por isso todos aqueles que precisam de fazer qualquer intervenção dentro de Chã das Caldeiras não devem fazê-lo isoladamente, mas mediante parecer do gabinete técnico.

Para a ministra das Infra-estruturas, o gabinete vai, além da assistência técnica, tratar das casas já edificadas, ressalvando que “não é intenção do Governo demolir as casas já construídas”.

As que já estão erigidas vão permanecer, ser enquadradas na paisagem e revestidas com materiais locais, tendo Eunice Silva apelado à população para, a partir de agora, não se começar a construir nada sem orientação do gabinete técnico.

Segundo a titular da pasta das Infra-estruturas, o plano prevê a realização de arruamentos dentro das comunidades de Portela e Bangaeira, com vias para carros, espaço para pessoas e inclusive para bicicletas, mas lembra que tudo isso exige uma articulação com a população.

Do mesmo modo, a estrada que passa pelos povoados de Portela e Bangaeira, já tem o traçado definido mas tem de ser ligada ao arruamento que vai ter redes de água, esgotos e electricidade, acrescentando que o plano prevê a construção de um complexo educativo com jardim infantil, uma escola básica e biblioteca, espaços para igrejas e centro de saúde.

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, explicou que o Governo escolheu a M_EIA para prestar assistência na implementação do plano detalhado de Chã das Caldeiras, através de um gabinete técnico, porque Governo conhece o trabalho que a instituição fez em Santo Antão e está a fazer em São Vicente.

Com os materiais locais vão construir-se pavimentos que, não só servem para o chão das casas de Chã, mas vão permitir que as pessoas comecem a organizar pequenos negócios de materiais de construção que depois podem ser comercializados noutros pontos da ilha.

Com isso pode-se desenvolver um centro especializado de produção de materiais de construção na Caldeira.

Ulisses Correia e Silva visitou o gabinete técnico, onde se inteirou dos protótipos dos projectos do complexo escolar, do centro de saúde e de outras infra-estruturas públicas.

Ficou, além disso, a conhecer diferentes tipos de materiais recolhidos na Caldeira que estão a ser testados para o revestimento das casas já edificadas e que vão ser utilizados nas construções futuras.

JR/AA

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: