21 Janeiro 2019

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Ilha do Fogo: Projecto FrutiFogo beneficia dez famílias das localidades de Forno, Luzia Nunes e Patim

  • PDF
Partilhar esta notícia

São Filipe, 19 Jun (Inforpress) – O projecto “FrutiFogo – Nós Rikéza” (Nossa Riqueza), que está a ser implementado no concelho de São Filipe, na ilha do Fogo, vai beneficiar directamente dez famílias das zonas de Forno, Luzia Nunes e Patim, informou hoje a edilidade.

O projecto tem como objectivo contribuir para a melhoria da qualidade de vida das famílias em situação de baixa renda e vulnerabilidade social, e, nesta primeira fase, conta com financiamento global de 50 mil dólares (4.500 contos), assegurados pelo PNUD (30.000), Governo (5.000) e a Câmara Municipal de São Filipe (15.000).

Segundo o vereador da Educação, Infra-estruturas, Urbanização, Planeamento do Território e Habitação, Lucas Alves, o programa terá a duração de um ano, e, caso for bem-sucedido, será replicado e expandido a outras localidades do município.

O responsável informou que as acções do projecto estão em curso, com a produção de plantas fruteiras em viveiros, as famílias já estão identificadas e as parcelas de terreno disponíveis para se iniciar a fixação das fruteiras.

A sua execução conta com outros parceiros, além dos financiadores, como a ONG italiana COSPE, através do projecto “Rotas do Fogo”, o instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) por intermédio do centro de emprego da região Fogo/Brava, o Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA), a empresa Águabrava, o Gabinete de Desenvolvimento Regional (GDR) e as próprias famílias beneficiárias.

No quadro dessa parceria, o centro de emprego vai participar a nível de formação assim como na criação de emprego e desenvolvimento económico, tendo programado para o mês de Julho, em parceria com a pro-empresa, uma formação na área de gestão de agro-negócio para as famílias beneficiárias, com abordagem de aspectos relacionados com a gestão, técnicas de colheita e pós-colheita.

No quadro do projecto de desenvolvimento de fruticultura, sector que a ilha tem grande potencial, os promotores equacionaram também a questão do escoamento, sendo que as iniciativas com vista à sua resolução serão desenvolvidas fora deste projecto, com a criação de uma central de compras dos produtos para a sua posterior comercialização.

JR/CP

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: