25 Junho 2018

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Nuias Silva no Fogo: Falta de emprego, oportunidades para jovens e rendimentos preocupam as famílias

  • PDF
Partilhar esta notícia

A falta de emprego, oportunidades para os jovens e rendimentos para fazer face ao mau ano agrícola são algumas questões que preocupam as famílias da ilha do Fogo, disse o deputado Nuías Silva.

O parlamentar eleito pela lista do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV- oposição), que terminou na sexta-feira uma visita ao seu círculo eleitoral, denunciou que, além destas questões, da lista das preocupações das famílias constam o “fraco impacto” do programa de salvamento de gado e mitigação dos efeitos da seca, assim como a problemática dos cães vadios, “sem que as autoridades, central ou local, tomem as medidas preventivas necessárias”.

Segundo o deputado tambarina, há “uma situação de aflição e as famílias rogam todos os dias para que venha a chuva e acabe com o sofrimento imposto por um plano “mal implementado”, apesar do “rio de dinheiro” que o primeiro-ministro anunciou, com pompas e circunstâncias, no parlamento”.

A visita visava constatar “in loco” a situação socioeconómica das famílias e o impacto do plano de mitigação da seca e do mau ano agrícola, tendo por isso o deputado privilegiado visitas às localidades e contactos individuais.

Para Nuias Silva, muitas famílias, sobretudo do mundo rural, vivenciam situação “precária”, com “notória falta” de oportunidades e emprego, que afecta, principalmente, a classe juvenil, indicando que não se prevê sinais de alteração deste cenário, que as famílias começam a desesperar e equacionar a emigração/migração para outras paragens, assim tentar a sua sorte.

O deputado do PAICV para o círculo eleitoral do Fogo revelou ainda ter constatado no município dos Mosteiros, através do presidente da câmara, que os recursos colocados à disposição pelo Governo são “insignificantes” perante a crise que se vive no mundo rural e a demanda dos efeitos do mau ano agrícola.

Falta de água e cães vadios

De acordo com a fonte, a edilidade dos Mosteiros já prestou contas da primeira tranche e aguarda a segunda tranche, estimado em mais de nove mil contos que ainda não foram disponibilizados pelo Governo, numa altura em que se aproxima da nova campanha agrícola.

Nuias Silva sugeriu que perante a situação do mau ano agrícola será preciso que o Governo equacione apoio, com sementes e materiais de alfaias agrícola, directo aos agricultores para nova campanha agrícola que se avizinha.

Na zona sul da ilha, sobretudo entre Luzia Nunes e Genebra, os horticultores levantaram a questão da falta de água para irrigação das culturas que ainda persistem, assim como a falta de apoio técnico da delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) para criadores de gado e agricultores.

Com relação a cães vadios que, no dizer do deputado “andam a fazer vida negra aos criadores de gado”, este prometeu dialogar com seu grupo parlamentar e Governo no sentido de ser submetido e aprovado uma proposta de lei de responsabilização dos donos de cães visando uma criação responsável de animais de guarda e segurança à semelhança do que acontece em outras paragens. C/Inforpress

Leia ainda - Artigos mais recentes: