22 Março 2019

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Ilha do Fogo: Mosteiros vive “o melhor momento de relacionamento com o Governo em toda a sua história” – MpD

  • PDF
Partilhar esta notícia

São Filipe, 23 Mai (Inforpress) – O município dos Mosteiros vive o seu melhor momento de relacionamento com o Governo, em toda a sua história, e tem de saber aproveitar esta conjuntura para transformar as inúmeras potencialidades em resultados concretos.

A afirmação é de José Carlos Lopes, porta-voz da região do Fogo do Movimento para a Democracia (MpD-situação) ao reagir, hoje, em conferencia de imprensa, às declarações do edil dos Mosteiros, Carlos Fernandinho Teixeira, segundo as quais os membros do Governo que se deslocam à ilha do Fogo não visitam o município dos Mosteiros.

Para José Carlos Lopes, Mosteiros conseguiu, nos dois anos do mandato do actual governo, de forma “célere e transparente”, aquilo que não conseguiu durante os 15 anos da governação do PAICV.

Destacou a “maior abertura institucional, mais financiamentos e apoios financeiros, mais incentivos, mais patrimónios, mais transferências de poderes e competências e maiores oportunidades de crescimento”, como ganhos recentes do concelho..

Estes ganhos foram, segundo José Carlos Lopes, reconhecidos, num dos planos de acção da Câmara dos Mosteiros, e pelo próprio edil, Carlos Fernandinho Teixeira, ao assinar a declaração do Mindelo, sobre o papel do actual Governo em matéria de descentralização.

Segundo o porta-voz da região do Fogo do MPD, os membros do actual Governo têm visitado, com regularidade, este município e apontou nomes de vários governantes que efectuaram visitas aos Mosteiros, esclarecendo que o executivo de Ulisses Correia e Silva tem dado “o mesmo tratamento a todos os concelhos do país e os Mosteiros tem beneficiado de uma discriminação “altamente positiva e de uma especial atenção, em todas as vertentes”.

A região do Fogo do MpD estranha, igualmente, as reacções do edil dos Mosteiros no que diz respeito ao desabamento da rocha no troço de Sumbango e a consequente obstrução da estrada e esclarece que se trata de “um problema antigo e que durante 15 anos de governação do PAICV não se fez absolutamente nada para o resolver”.

“Se o PAICV tivesse honrado os seus compromissos respeitantes ao anel rodoviário, hoje o problema estaria ultrapassado”, disse o porta-voz da região do Fogo do MpD, indicando que quando a edilidade dos Mosteiros solicitou o contributo dos deputados junto do Governo para colmatar o problema, Carlos Fernandinho Teixeira encontrava-se ausente e que “é provável que não esteja na posse de informações”.

O Governo, explica, enviou uma equipa de especialistas portugueses, através do Instituto de estrada, à ilha do Fogo, para avaliar a situação e propor soluções técnicas, e aguarda a apresentação das propostas para intervenção de fundo para a “resolução definitiva e sólida” do problema naquela via, que liga Mosteiros a São Filipe, via norte, sem contudo indicar se a intervenção poderá acontecer ainda antes da época das chuvas.

Questionado se durante a legislatura, a chamada “meia-lua”, como designou a parte do anel rodoviário construída, haverá o fecho daquele troço, José Carlos Lopes afirma que os deputados da ilha, eleitos pelo MpD, estão esperançosos e vão trabalhar para que tal venha a ocorrer no futuro, embora , admitiu, possa não ser nesta legislatura.

JR/JMV

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: