19 Maio 2019

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Ilha do Fogo: Delegado do MAA reúne-se sexta-feira com agricultores para “evitar nova manifestação”

  • PDF
Partilhar esta notícia

São Filipe, 06 Abr (Inforpress) – O delegado do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) Jaime Ledo de Pina, reúne-se hoje com agricultores da zona sul na tentativa de “evitar uma nova manifestação” para exigir a resolução do problema de água para agricultura.

Os agricultores da zona sul da ilha do Fogo, entre Brandão e Fonte Aleixo, que a 23 de Janeiro último promoveram uma manifestação, informaram ao delegado do MAA a intenção de realizar uma nova manifestação na próxima semana para exigir a resolução do problema de água, depois de dois meses de espera para a solução.

O delegado do MAA que diz não estar autorizado a disponibilizar quaisquer dados sem a prévia solicitação para concertação com a tutela, limitou, numa conversa com a Inforpress, a confirmar a recepção do documento em que os agricultores mostram a intenção de realizar nova manifestação.

Os agricultores da zona sul, nomeadamente de Ramo Inglês e de Monte Genebra, contactados pela Inforpress confirmaram a realização do encontro nesta sexta-feira com o delegado do Ministério da Agricultura.

O delegado do MAA tentou encontrar uma solução junto da empresa intermunicipal de águas, Águabrava, que desde Março assumiu a parte operacional do sistema de água para agricultura, nomeadamente todos os trabalhos de exploração e bombagem da água dos furos subterrâneos e, colocação da água no reservatório de Patim, deixando a distribuição sob a responsabilidade da delegação do MAA mas a direcção da Águabrava voltou a reafirma que só assume todo o processo da gestão da água para agricultura após reabilitação do sistema, no quadro do protocolo celebrado há cerca de um ano com ANAS.

Na sequência do protocolo celebrado em Julho do ano passado entre Águabrava e Agencia Nacional de Águas e Saneamento (ANAS) para que esta empresa assumisse a gestão de água para agricultura foi realizado um levantamento da situação e as necessidades para garantir o fornecimento de água dentro de padrão de qualidade, um projecto orçamentado em 78 mil contos, dos quais o Governo já mobilizou 60 mil contos.

A ideia inicial, segundo o administrador/delegado da Águabrava, José Rodrigues, seria a adjudicação directa a esta empresa para a execução dos trabalhos, mas por exigência do financiador as correcções serão realizadas mediante concurso público, o que levará o seu tempo para elaboração do caderno de encargo, lançamento de concurso, factores que vão alargar o período de execução dos trabalhos.

O responsável da Águabrava disse que a sua empresa apenas dá apoio técnico neste momento, indicando que uma das bombas que encontrava-se avariado foi retirada para a reparação visando a sua colocação ainda esta sexta-feira para garantir a água.

Outro problema detectado é que o furo de Ilhéu de Pena, executado e equipado recentemente, e com capacidade para 22 metros cúbicos de água/hora, fornece neste momento apenas seis metros cúbicos, o que pressupõe que existe fuga de água no sistema elevatória, tendo a empresa Águabrava aconselhado a delegação a suspender a sua exploração para evitar a queda da bomba e corrigir a situação.

A realização da manifestação vai depender do resultado do encontro e das garantias que o delegado do MAA vai deixar aos agricultores sobre a resolução do problema de abastecimento de água para agricultura na faixa que se estende desde Brandão (São Filipe) até Roçadas (Santa Catarina do Fogo).

Na manifestação de 23 de Janeiro os promotores calcularam que cerca de 80 por cento (%) dos 122 agricultores da zona sul tinham participado na manifestação.

A Inforpress sabe que a directora dos recursos hídricos e saneamento da Agencia Nacional de Águas e Saneamento (ANAS) que se encontrava de visita a ilha, garantiu que esta agência vai financiar a execução e equipamento de mais dois furos na zona sul para poder mobilizar mais água para agricultura na zona sul, cuja concretização poderá aumentar a disponibilidade de água para agricultura para mais de mil metros cúbicos/dia.

A Águabrava solicitou a ANAS o financiamento da execução de mais um furo na zona de Monte Grito, proximidades da cidade de São Filipe, para abastecer a cidade, de modo a libertar a água de um dos furos de Achada Malva para a zona norte do município, segundo o administrador/delegado, José Rodrigues.

Num encontro tripartido, entre ANAS, Águabrava e Camara Municipal de São Filipe, ficou assente de que ANAS vai financiar o projecto de extensão de água a noroeste, nomeadamente o lote entre Lomba e Ponta Verde Cima.

Quanto a abastecimento de água as zonas de Cabeça Fundão e Chã das Caldeiras no município de Santa Catarina do Fogo, José Rodrigues, disse que as autoridades governamentais têm em mãos um projecto elaborado pela empresa visando abastecer essas localidades, a partir de Achada Furna.

Segundo o mesmo o projecto está orçado em cerca de 110 mil contos e prevê a construção de quatro estações elevatórias, reservatórios de distribuição, esperando que o projecto possa ser executado no mesmo período que será construído a estrada no interior de Chã das Caldeiras, o que poderá diminuir o seu custo.

JR

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: