22 Março 2019

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Ilha do Fogo: Chã foi muito bom para as campanhas eleitoras e está a ser péssimo para a governação – Júlio Correia

  • PDF
Partilhar esta notícia

 

São Filipe, 16 Mar (Inforpress) – O deputado Júlio Correia, que termina sexta-feira a sua visita à ilha para se inteirar do programa de mitigação do mau ano agrícola, disse que Chã foi muito bom para as campanhas eleitoras e está a ser péssimo para a governação.

Depois da visita de uma semana para se inteirar da execução do programa de mitigação dos impactos do mau ano agrícola e das questões relacionadas com Chã das Caldeiras, Júlio Correia, eleito pelo circulo de Santiago Sul, afirmou que esta localidade “deu muitos votos, mas está a ser muito árdua para este Governo”, indicando que não veja mérito nenhum na acção governativa para responder aquilo que prometeu a população e que era para o dia seguinte.

“O Governo removeu tudo porque acha que o país deve renascer a cada cinco anos e arrancar de novo”, disse o parlamentar, indicando que quer o plano de reordenamento de Chã como todos os programas que tinham que ver com novo assentamento e outros foram zerados sem se apresentar alternativas.

O assentamento, explica, não era fazer as pessoas morarem em casa, mas repor a normalidade de vivência social de Chã das Caldeiras, através de casas, da cultura que havia, das infra-estruturas colectivas e sociais e as sociabilidades que não significam colocar as pessoas a morarem aqui e acolá.

Júlio Correia, que teve oportunidade de dialogar com pessoas de Chã das Caldeiras durante a visita de uma semana, afirma que os projectos que existiam, para este Governo não valiam nada, mas o pior, acrescenta, é que não fizeram nada.

Segundo o parlamentar, várias questões complexas foram apresentadas à sociedade como coisas que só estavam daquela forma por causa do anterior Governo, observando que mais de 20 meses aquelas questões, que eram emergenciais, não estão resolvidas e não há “uma convergência entre a palavra dada e o acto praticado”, razão porque muitos estão defraudados.

JR/JMV

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: