11 Dezembro 2018

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Cidade de São Filipe acolhe o primeiro Centro de Cuidados Paliativos no país

  • PDF
Partilhar esta notícia

Depois da Uganda, África do Sul e Quênia, o arquipélago de Cabo Verde é o quarto país africano a acolher Centro de Cuidados Paliativos (Hospíce). A pensar nisso, realiza-se esta quarta-feira,14, em Cutelo de Açúcar, na Cidade de São Filipe, a cerimónia de lançamento da primeira pedra do Centro “Nossa Senhora da Encarnação”, sob a égide do Cardeal Dom Arlindo Furtado. O Centro servirá os pacientes das ilhas do Fogo e da Brava e tem o prazo de execução para um ano.

Trata-se de um projeto da Associação Solidariedade e Desenvolvimento – ASDE, elaborado em parceria com a Fundação F.A.R.O., uma organização sem fins lucrativos de Turim na Itália que, há mais de 30 anos, vem prestando cuidados paliativos de qualidade aos doentes e às suas famílias, diminuindo o sofrimento físico e existencial daqueles que já só esperam a morte.

Este é um tema muito importante para a Igreja católica, tendo o Vaticano realizado nos dias 27 e 28 de fevereiro último, um encontro internacional sobre a cura paliativa.
A cultura dos cuidados paliativos no continente africano está, ainda, muito pouco disseminada. Apenas alguns países (Uganda, África do Sul, Quênia) dispõem de centros de cuidados paliativos e os serviços de assistência domiciliária também são raros.

O cuidado paliativo é o recurso dos doentes e seus entes queridos quando se lhes afirma que "não há mais nada a fazer". Na realidade, nesta fase, há muito a "fazer" porque muitas são as necessidades do paciente e da sua família.

Dedicado ao Padre Capuchinho italiano Ettore Molinaro, esta obra nasce da compaixão do Padre Ottavio Fasano, fundador da ASDE para com o sofrimento humano, baseada na ideia de que qualquer vida humana merece uma morte digna. O Centro de Cuidados Paliativos (Hospíce) “ Nossa Senhora da Encarnação” deverá estar concluído em março de 2019 e servirá os pacientes das ilhas do Fogo e da Brava.

O centro disporá de uma equipa multidisciplinar de especialistas em cuidados paliativos, que incluirá médicos, enfermeiras, psicólogos, fisioterapeutas e assistentes sociais e espirituais.

Conforme os promotores do investimento, o projeto arquitetónico é assinado pelo arquiteto italiano Rocco Montagnese. Serão 465,3 m2 de área construída, que vão dar lugar a 5 quatros, 7 casas de banho, 1 farmácia, 1 enfermaria, 1 WC para visitantes, 1 secretaria, 1 WC para enfermeiros, 1 cozinha, 2 lavandarias, corredor e terraço.

Para além da presença do Cardeal Dom Arlindo Furtado que presidirá o ato, intervirão no evento o Ministro da Saúde, Arlindo do Rosário, e os presidentes das Câmaras Municipais do Fogo.

Leia ainda - Artigos mais recentes: