21 Maio 2019

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Ilha do Fogo: Primeiro lote do projecto de extensão da rede de água a noroeste concluído

  • PDF
Partilhar esta notícia

 

São Filipe, 06 Mar (Inforpress) – O primeiro lote do projecto de extensão da rede de abastecimento de água a noroeste de São Filipe está concluído e a empresa Águabrava aguarda a ligação de energia eléctrica para pôr a rede a funcionar.

O primeiro dos quatro lotes do projecto, cobre as localidades de São Pedro a Lomba, passando pelos povoados de Inhuco Baixo, Curral Grande, Italiano e zonas intermédias, assim como Inhuco Alto, Zambujeiro e Aleixo Gomes, beneficiando cerca de quatro mil pessoas e segundo o administrador/delegado da Águabrava, José Rodrigues, assim que a Electra proceda a ligação de energia, já solicitada, essas localidades vão ter água na rede.

O projecto iniciado há cerca de dois anos (Abril de 2016) previa a disponibilização de água a noroeste, mas problemas com o financiamento estão na base do seu atraso.

José Rodrigues avança que o próximo lote será entre Lomba e Ponta Verde Cima, para o qual a edilidade de São Filipe tinha anunciado o financiamento, observando que a Águabrava estabeleceu contacto com a Cooperação Luxemburguesa, que deverá enviar no decurso deste mês de Março, uma equipa à ilha para verificar a possibilidade de financiamento dos lotes ainda por executar, nomeadamente Lomba a Ponta Verde Cima como Lomba a Campanas de Cima, passando por Monte Preto, Ribeira Filipe, Domingos Ledo e Velho Manuel.

A empresa que dispõe no seu armazém todo o material e equipamento necessário para a execução da extensão da rede até Campanas de Cima vai separar os custos relativos a mão-de-obra visando possível financiamento por parte da Cooperação Luxemburguesa.

Além das localidades cobertas pelo lote um, o projecto vai cobrir os povoados de Lomba, Mira-mira e parte alta de Ponta Verde (lote dois), Lomba a Ribeira Filipe, cobrindo Velho Manuel, Domingos Ledo, Ilhéu de Contenda (lote três) e Ribeira Filipe e a Campanas de Cima, passando por Monte Preto (lote quatro).

Co-financiado pelo então Ministério do Ambiente, Habitação e Ordenamento do Território (MAHOT), Águabrava, câmara municipal e Comissão Regional de Parceiros, o projecto está orçado em cerca de 150 mil contos (147 mil contos), dos quais 90 mil (61 por cento (%) do valor global) foram disponibilizados pelo ex-ministério do Ambiente, Habitação e Ordenamento do Território (MAHOT).

O projecto beneficia, na globalidade, uma média de cinco mil habitantes das localidades situadas a noroeste da ilha, e a uma quota inferior a 1.200 metros de altitude.

Ainda no sector da água, José Rodrigues disse que neste momento está-se a proceder ao equipamento do furo de Benexa, nas proximidades do aeródromo de São Filipe, assim como a preparação da base para instalação de um reservatório metálico, no quadro do programa CVE 082 financiado pelos Governos de Cabo Verde e de Luxemburgo.

A instalação dos equipamentos hidráulicos funciona com recurso a energia renovável, estando neste momento em fase de montagem um pequeno parque solar para fazer funcionar os equipamentos de elevação de água que vai abastecer a zona de expansão sul da cidade de São Filipe, incluindo o hospital São Francisco de Assis e outras estruturas que vão surgindo nesta área.

Este projecto estará concluído em Maio, equipamentos do furo e construção do reservatório, sendo que para o reservatório todos os equipamentos necessários foram encomendados.

Actualmente a disponibilidade de fornecimento de água à cidade de São Filipe é de 1.500 metros cúbicos/dia, ultrapassando as necessidades actuais que é de mil metros cúbicos e com o equipamento e exploração do furo de Benexa, a disponibilidade diária passará a ser de 1.800 metros cúbicos, quase o dobro das necessidades, segundo o administrador/delegado da Águabrava.

JR/AA

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: