17 Agosto 2018

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Ilha do Fogo: Encerrada consulta pública do Plano Detalhado de Chã das Caldeiras

  • PDF
Partilhar esta notícia

São Filipe, 30 Jan (Inforpress) – A fase de consulta pública do Plano Detalhado (PD) para o ordenamento de Chã das Caldeiras, elaborado pela Gesplan, foi encerrada segunda-feira, depois de um período de dois meses após a sua socialização.

O documento, elaborado pelo Ministério das Infraestruturas, Ordenamento do Território e Habitação, em parceria com consultores especialistas das ilhas Canárias, surgiu na sequência da erupção vulcânica de 2014, que destruiu os principais povoados de Chã das Caldeiras.

Danilo Fontes “Dom Danillon”, um dos moradores, contactado pela Inforpress, disse que a população só teve conhecimento do documento horas antes da sua realização e que houve pouca participação.

“Esta imposição das autoridades em escolher Bangaeira para o novo assentamento pode custar, no futuro, muito caro à própria ilha”, afirmou, acrescentando que a sua localização constitui “uma ferida para o Fogo”.

A questão de Chã das Caldeiras, segundo Danilo Fontes, deixou de ser um problema local e apenas dos moradores de Chã das Caldeiras e, por esta razão, defende que “Fogo deveria pronunciar, pois o plano passou a ser mais um problema da ilha do que das pessoas de Chã”.

Questionado sobre o que seria ideal para a localidade, Danilo Fontes disse que seria necessário a realização de uma “mesa redonda, séria”, para discutir, no âmbito de desenvolvimento da ilha, a questão de Chã das Caldeiras, o ponto mais turístico da ilha, e com envolvimento dos locais.

O encerramento da consulta pública do PD contou com a participação de técnicos nacionais de diversas áreas como Bruno Faria, Leão Lopes, delegado do Ministério da Agricultura e Ambiente, coordenador do Parque Natural do Fogo, assessora da ministra das Infraestruturas e técnicos da Câmara Municipal.

O edil Alberto Nunes não pôde estar presente no acto, que decorreu em Chã das Caldeiras na tarde de segunda-feira, por se encontrar ausente numa missão em Portugal, mas a assessora da ministra das Infraestruturas prometeu prestar declarações ainda hoje sobre o encerramento da consulta pública do documento.

Aquando da socialização do documento, Alberto Nunes tinha admitido que o atraso registado na elaboração do PD de Chã das Caldeiras retardou algumas medidas que deviam ser tomadas, porque o investimento que o Governo e a câmara pretendem realizar é sustentável para as pessoas que vivem na Caldeira.

Acrescentou que o atraso esteve na origem do retardamento da implementação de alguns projectos nesta localidade e que já deviam ter sido realizados como o novo assentamento e a acessibilidade, que dependem das indicações do PD, esperando que o plano entra em vigor no segundo trimestre deste ano.

JR/CP

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: