21 Outubro 2018

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Ilha do Fogo: Edilidade de Santa Catarina socializa quinta-feira o projecto de requalificação da praça de Roçadas

  • PDF
Partilhar esta notícia

 

São Filipe, 10 Jan (Inforpress) – A edilidade de Santa Catarina do Fogo socializa, na quinta-feira, com a comunidade de Roçadas, o projecto de requalificação da praça e entrada do bairro, financiado pelo Sistema das Nações Unidas, prevendo para a próxima semana o arranque das obras.

Para a requalificação da praça de Roçadas, bairro construído na década de 50 do século passado para albergar os deslocados da erupção vulcânica de 1951, a autarquia conta com o financiamento do Sistema das Nações Unidas, no montante de 30 mil dólares, cerca de 2.800 contos, sendo que a primeira tranche foi desbloqueada e a segunda deve acontecer ainda esta semana, segundo o edil, Alberto Nunes.

Segundo o mesmo, a requalifica da praça consiste no revestimento com pedra vista, colocação de pavês, construção de quiosque e um espaço cultura.

O autarca explicou que o objectivo desta intervenção é criar espaços alternativos, no quadro da eleição do turismo como uma das actividades principais.

Além do valor disponibilizado pelo Sistema das Nações Unidas, a edilidade vai entrar com uma parte, equivalente a 20 mil dólares, estando a mobilizar outros parceiros para a concretização deste projecto.

A nível de requalificação, na próxima semana, a edilidade vai socializar com os moradores da cidade de Cova Figueira o projecto da sua requalificação.

Alberto Nunes disse que para a requalificação urbana da cidade, o Governo já garantiu 70 mil contos, observando que os trabalhos serão realizados por fases e que para 2018 a previsão é para investir cerca de 25 mil contos.

O autarca disse que a requalificação urbana, que abrange desde Maria da Cruz/Domingos Lobo até Enseada Helena, incluindo o bairro de Lapinha, prevê a construção de uma via alternativa à única via principal existente (continuação da estrada de acesso a Lapinha), praças, ruas, substituição de bancos e a nova rede de iluminação pública.

O edil adiantou que como o turismo constitui um das apostas, a edilidade pretende sensibilizar as pessoas, sobretudo emigrantes, que detém casas na cidade de Cova Figueira, que não dispõe de unidade hoteleira, e que estão fechadas, no sentido de equipa-las e transforma-las em espaço para acolhimento de turistas no centro da cidade, funcionando como complemento a Chã das Caldeiras.

Por outro lado, a edilidade deverá entregar à comunidade de Monte Vermelho, zona sul do município, o jardim infantil, cuja construção foi co-financiada pela Embaixada da China em Cabo Verde, no valor de dois mil contos.

Alberto Nunes disse que este é o terceiro jardim-de-infância que a sua equipa entrega às comunidades no espaço de um ano.

Neste momento, a edilidade tem várias obras em curso, como o desencravamento de acessibilidade nas localidades de Estância Roque, Maria da Cruz e Tinteira, construção de raiz ou reabilitação de moradias sociais em Estância Roque (02), Cabeça Fundão (01) e na Cidade de Cova Figueira (02).

Em curso estão ainda as obras de reabilitação das escolas de Achada Furna, Tinteira e Fonte Aleixo-sul, consistindo em alguns casos na substituição da cobertura, pintura geral, substituição de portas e janelas e na construção de cozinhas.

O autarca afirmou que dezenas de postos de trabalho estão criados para fazer face ao mau ano agrícola, através destas intervenções , como de outras em curso um pouco pelas diferentes localidades do município, além de distribuição de vales cheques, iniciado no final de semana passada, aos criadores do município.

JR/JMV

Inforpress/Fim

Gostar disto:

GostoCarregando...

Relacionado
Leia ainda - Artigos mais recentes: