20 Janeiro 2019

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Ilha do Fogo: Engenheiro residente da FAO para projecto OSRO inteira-se do andamento das acções

  • PDF
Partilhar esta notícia

São Filipe, 28 Dez (Inforpress) – O engenheiro residente da FAO para o projecto OSRO (ajuda humanitária de urgência para restauração dos meios de existência e aumento da resiliência das famílias afectadas pela erupção vulcânica) encontra-se no Fogo para se inteirar do andamento das actividades.

O delegado do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) na ilha, Jaime Ledo, disse que a visita deste responsável do projecto do Fundo das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), Emanuel Monteiro, começou quarta-feira com deslocações aos pontos onde estão a ser implementadas as acções no município de São Filipe, continuando esta quinta-feira com deslocações aos Mosteiros e Chã das Caldeiras.

Das acções em curso consta o equipamento de três furos no município de São Filipe, dois nos Mosteiros e um em Santa Catarina do Fogo, Chã das Caldeiras e, segundo o delegado do MAA, os cinco furos, três em São Filipe e dois nos Mosteiros, vão ser equipados com energia convencional e o de Chã das Caldeiras com energia renovável, painéis solares, razão pela qual a visita tem sido acompanhada por técnicos da Electra para determinar os pontos de tomado de energia para os furos.

Este projecto, orçado em 100 mil contos, prevê a instalação de parcelas irrigadas com o sistema de gota-a-gota, reconstrução da unidade de transformação de frutas da associação dos agricultores de Chã das Caldeiras e na altura da sua apresentação chegou-se a ventilar que uma parte podia ser destinada a construção da adega definitiva.

Com relação à perfuração na localidade de Djeu di Pena (Ilhéu de Pena) para mobilização e extensão da rede de água para apoiar agricultores entre Brandão (São Filipe) e Roçadas (Santa Catarina), os trabalhos iniciados em meados de Novembro, foram concluídos esta semana “com sucesso”.

A equipa técnica responsável pela perfuração vai proceder até final desta semana a limpeza do furo, numa profundidade de 225 metros, para posterior equipamento, o que acontecerá durante o mês de Janeiro, segundo Jaime Ledo.

Este projecto de perfuração foi financiado pelo Projecto de Oportunidades Socioeconómicas no Meio Rural (POSER) e visa mobilizar aproximadamente 20 metros cúbicos/hora para abastecer os agricultores. Tem uma segunda componente que consiste na extensão da rede para agricultura entre as localidades de Fonte Aleixo e Roçadas, no município de Santa Catarina.

O projecto de mobilização e extensão da rede de água para apoiar agricultores entre Brandão (São Filipe) e Roçadas (Santa Catarina) visa aumentar a disponibilidade de água fornecida aos agricultores com parcelas irrigadas nesta área e a sua extensão de Fonte Aleixo até o povoado de Roçadas, permitindo assim aumento de área irrigada.

Ao todo o projecto ronda os 20 mil contos, sendo que a execução de furo e equipamentos de dois furos devem custar cerca de 14 mil contos e a elevação de água entre Fonte Aleixo e Roçadas, não deve ultrapassar os seis mil contos.

JR/ZS

Inforpress/Fim

Gostar disto:

GostoCarregando...

Relacionado
Leia ainda - Artigos mais recentes: