19 Março 2019

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Ilha do Fogo: Adesão à greve da Polícia Nacional na ordem dos 75 por cento segundo a organização

  • PDF
Partilhar esta notícia

 

São Filipe, 27 Dez (Inforpress) – Mais de 75 por cento (%) dos efectivos da Polícia Nacional das três esquadras da ilha concentraram-se esta manhã numa das pracetas a menos de 300 metros do Comando Regional para o primeiro dos três dias de greve nacional.

Henrique Correia um dos participantes na manifestação e em nome dos seus pares, disse que a adesão à greve é superior a 75% na globalidade das esquadras de São Filipe, Mosteiros e Cova Figueira, indicando que em algumas das esquadras a adesão é na ordem dos 90% e que há esquadras onde está apenas o comandante e o pessoal da limpeza.

“A luta é para continuar por ser uma reivindicação que estamos a fazer há vários anos e não conseguimos porque não tínhamos um sindicato representativo”, disse Correia, observando que esta greve podia ter acontecido a 10 ou 20 anos atrás e que esta luta não vai parar com a realização desta greve.

Segundo o mesmo, a realização da greve é motivada pelo incumprimento do acordo assinado entre o Sindicato Nacional da Polícia (Sinapol) e o Governo, através do Ministério da Administração Interna (MAI) e que deveria constar do Orçamento do Estado de 2018 e que previa três pontos fundamentais.

“Melhoramento salarial, atribuição de subsídio de 25 por cento para o pessoal condutor e a redução da carga horária, uma vez que, há agentes que trabalham muito mais, o dobro daquilo que é previsto, por semana, o que é considerado de autêntica escravatura”, acrescentou.

Sobre a requisição civil decretada pelo Governo, Correia avança que é uma medida “ilegal”, mas que apesar disso a participação e adesão está sendo “grande”.

“Estamos de peito aberto para aquilo que der e vier, sabendo que a legalidade está do nosso lado e não temos nada a temer”, disse Henrique Correia.

Por volta das 09:00, numa ronda pelas principais ruas da cidade de São Filipe, onde habitualmente se regista a presença de agentes da Polícia Nacional, nomeadamente junto do mercado, das instituições bancárias, tribunal, esta quarta-feira não havia qualquer efectivo da polícia, não obstante a grande movimentação das pessoas depois de um fim-de-semana prolongado com feriado e tolerância de ponto pelo meio.

JR/ZS

Inforpress/Fim

Gostar disto:

GostoCarregando...

Relacionado
Leia ainda - Artigos mais recentes: