24 Janeiro 2018

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Santa Catarina do Fogo: Eleitos do PAICV acusam edilidade de “nada fazer” para resolver os problemas dos munícipes

  • PDF
Partilhar esta notícia

 

São Filipe, 20 Nov (Inforpress) – Os eleitos municipais do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV – oposição) em Santa Catarina do Fogo acusam a autarquia de “nada fazer” para resolver uma série de dificuldades por que passa a população.

Os eleitos dizem ter visitado, semana passada, vários povoados à dispensa dos seus próprios recursos, alegando que a edilidade, depois de decidir favoravelmente em disponibilizar meios para a concretização da visita, “deu marcha trás” na tentativa de “silenciar os eleitos”.

Da lista das preocupações que afligem a população, enumeram a falta de emprego público, falta de água para rega ou quando existe a distribuição é feita “de forma descriminada” e zonas intermédias como Mãe Joana e Estância Roque,sem água na rede pública “há mais de três meses”.

Em relação à Chã das Caldeiras, segundo os eleitos, a localidade continua a padecer de falta de água que é vendida a um “preço elevado” quando aparece, sabendo que existe um furo que aguarda pelo equipamento para bombagem, o acesso continua penoso de tantas voltas e péssimas condições, e a população já não tem esperança no assentamento.

“A promessa da atribuição de 200 mil escudos por família para actividades geradoras de rendimento ficou gorada, a população reclama as construções desorganizadas, estragando tudo que possa vir a ser um plano para Chã das Caldeiras”, disse o eleito João Francisco Fontes, questionando onde pára as medidas preventivas sobre a construção que se gastou dinheiro público para a sua aprovação.

No dizer deste eleito municipal do PAICV, a população de Chã reclama da falta de autoridades municipais, nomeadamente do edil de Santa Catarina, reclamação que, segundo João Francisco Fontes, foi também constatada em outras localidades.

No domínio da educação, os eleitos consideram que o novo sistema só veio trazer “transtornos e mais despesas” aos pais e encarregados de educação, além de insegurança das crianças que deambulam pelas zonas, chegando às vezes em casa por volta das 20:00.

No sector de pecuária indicam que os criadores padecem com os seus animais e “sem nenhum subsídio” para o salvamento de gado, enquanto o serviço de saúde está deficitário e com “péssimo atendimento” na urgência, sobretudo à noite.

Com relação ao estádio municipal relvado, inaugurado sábado, os eleitos do PAICV considera ser a conclusão de um projecto herdado da gestão anterior e algumas habitações sociais reabilitadas.

Neste sector, indicam que na localidade de onde é natural o edil, Mãe Joana, regista-se uma discriminação notória, tendo deixado a habitação de uma família com uma idosa de quase 100 anos e acamada há vários anos e com dois deficientes a morarem em situação degradante, tendo reabilitado habitação de outrem.

João Francisco indica que as constatações são várias e calamitosas, mas que a comunicação social, “por ordem superior”, quer silenciar tais situações.

JR/CP

Inforpress/Fim

Gostar disto:

GostoCarregando...

Relacionado
Leia ainda - Artigos mais recentes: