24 Janeiro 2018

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Pedro Pires, Amílcar Cabral, Aristides Pereira e Corsino Fortes homenageados pela Fundação Agostinho Neto

  • PDF
Partilhar esta notícia

 

Cidade da Praia, 18 Nov (Inforpress) – Pedro Pires, Amílcar Cabral, Aristides Pereira e Corsino Fortes foram hoje homenageados na Cidade da Praia pela Fundação Agostinho Neto, de Angola, numa cerimónia que contou com a presença da presidente da fundação, Maria Eugénia Neto.

A cerimónia de homenagem com a Ordem Sagrada Esperança aconteceu à margem do encerramento do Simpósio Internacional Aristides Pereira, que decorreu durante três dias , na capital do país, sob o lema “Recordando o Homem, Edificando a História” e organizado pela Fundação Amílcar Cabral (FAC) e a Associação dos Combatentes da Liberdade da Pátria (ACOLP).

Pedro Pires agradeceu a fundação na pessoa da sua presidente, sublinhando que a distinção dada ao Amílcar Cabral, Aristides Pereira e Corsino Fortes, este último a título póstumo, tem um significado “muito especial” para ele, já que Agostinho Neto é um símbolo da “luta, resistência e independência” dos países que foram colonizados.

“A Ordem Sagrada Esperança interpela, porque o que é sagrado é para ser cumprido e não ser violado (…). A sagrada esperança do bem-estar e da igualdade estão por cumprir. Vamos continuar este combate para a realização desta mensagem muito forte. Há que lutar pela sagrada esperança da igualdade e do bem-estar. Será o nosso compromisso”, frisou.

O Simpósio Internacional Aristides Pereira e a homenagem contaram com a presença da vice-presidente da Fundação Agostinho Neto, Irene Neto, dos antigos combatentes de Cabo Verde e da Guiné-Bissau, das delegações do Partido Africano de Independência da Guine e Cabo Verde (PAIGC) e do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA).

Durante esses três dias do simpósio, os convidados, juntando ainda investigadores, professores, estudantes universitários, estudiosos e curiosos, debruçaram-se sobre a luta pela independência do país e a criação das condições necessárias para a afirmação do Estado soberano de Cabo Verde e o papel fulcral que Aristides Pereira terá tido em todo esse processo.

Para além de conferências proferidas por cientistas e investigadores nacionais e estrangeiros, à margem do simpósio aconteceu uma exposição sobre o percurso do primeiro Presidente da República de Cabo Verde, Aristides Pereira, na Biblioteca Nacional.

DR/JMV

Inforpress/Fim

Gostar disto:

GostoCarregando...

Relacionado
Leia ainda - Artigos mais recentes: