21 Outubro 2017

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Santa Catarina do Fogo: Orla marítima vai ser requalificada para ser polo alternativo a Chã das Caldeiras

  • PDF
Partilhar esta notícia

 

São Filipe, 10 Out (Inforpress) – A edilidade de Santa Catarina do Fogo pretende idealizar o projecto que visa a requalificação de toda a orla marítima, desde Bombardeiro até Alcatraz, criando assim um polo de desenvolvimento turístico alternativo a Chã das Caldeiras.

O presidente da Câmara Municipal, Alberto Nunes, disse à Inforpress que o projecto passa, também, pela reabilitação da via de acesso a Fajã, Baia de Alcatraz e a Bombardeiro para garantir a circulação em segurança, mas também levar água e energia para atrair investimentos no sector do turismo.

A requalificação da orça marítima, segundo o autarca, vai contar com verbas disponibilizadas pelo Fundo do Ambiente, mas também no quadro do Fundo do Turismo.

A intenção é recuperar o cemitério de Bombardeiro, construído em meados de 1800, mas que deixou de funcionar na década de 40 do seculo passado (1940), informou Alberto Nunes, observando que, neste momento, há pedidos de munícipes que querem comprar covas naquele cemitério.

Com relação à cidade de Cova Figueira, sede do município, indicou que o projecto de requalificação e transformação numa cidade de futuro vai iniciar a partir de Janeiro de 2018, estando prevista uma verba de 70 mil contos para o efeito.

Na próxima semana, um arquitecto do Ministério das Infraestruturas estará em Santa Catarina do Fogo para ajudar a equipa técnica a projectar as obras de requalificação que vai incluir uma via alternativa, ruas pedonais, pracetas e espaços verdes.

Alberto Nunes fez saber que a edilidade tem o aval da Assembleia Municipal para negociar um lote de terreno de cerca de 10 mil metros quadrados, no centro da cidade, para a urbanização de Cova Figueira, nomeadamente para construção de uma via alternativa na cidade e a parte restante do terreno será destinada a construção de infra-estruturas públicas e lotes para habitação.

O processo conheceu algum atraso na transferência de títulos de propriedade, mas o autarca garante que o mesmo está em fase avançada e que a negociação vai ser concluída ainda este ano.

JR/CP

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: