26 Setembro 2017

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Fogo:Mais de 9 mil alunos iniciam próximo ano lectivo

  • PDF
Partilhar esta notícia

Cerca de 10 mil alunos, abrangendo o ensino básico e secundário, vão frequentar, nos três concelhos do Fogo, o ano lectivo 2017/2018. As aulas iniciar-se-ão, oficialmente, a 18 de Setembro, em todo o país, com um total de 137 mil alunos.

Em declarações ao asemanaonline, os delegados do Ministério da Educação nos três concelhos da ilha asseveram que “tudo está a postos para o arranque normal das actividades lectivas no Fogo".

Garantem que o Ministério da Educação tornou públicas “as propostas, as inovações e os preparativos”, que irão melhorar a Gestão Pedagógica e Administrativa do sistema de Ensino no Fogo e em Cabo Verde, no novo ano lectivo 2017/2018.

Referindo-se ao Fogo, informam que toda a estrutura já está montada, garantindo que não há constrangimentos maiores que posam dificultar o arranque normal das aulas, tanto em São Filipe, Santa Catarina ou nos Mosteiros.

Em São Filipe mais de seis mil crianças, adolescentes e jovens já estão matriculados. Mas estes números provisórios que podem aumentar depois do início das aulas com novas inscrições, segundo admite a delegada do Ministério da Educação, Sofia Monteiro de Pina. Os alunos serão orientados por 200 professores,aproximadamente.

Neste ano lectivo, São Filipe foi dividida em quatro agrupamento. Há o do Centro Urbano, que inclui a Escola Secundaria Teixeira de Sousa, a Escola de Cobom, a escola de Santa Filomena e Pedro Cardoso. Já o agrupamento Sul, com Polo-sede na Escola de Patim, abrange as escolas Forno, Luzia Nunes, Monte Grande e Monte Largo. Mas há ainda o agrupamento –Norte Cima- com a sede na Escola de Curral Grande - inclui as escolas de São Domingos, Cutelo, Italiano, Domingos Ledo, Ribeira Filipe e Campanas de Cima. A outra estrutura é o agrupamento-Norte Baixo. Fica com a sede na Escola Secundaria Pedro Verona Pires e cobre as escolas de Ponta Verde, Monte Tabor, Pé de Monte, Ponta Verde, São Jorge e e Campanas de Baixo. Segundo a mesma fonte, cada agrupamento terá o seu corpo directivo: Coordenador, sub-coordenador pedagógico, sub-coordenador administrativo e coordenadores de cada uma das escolas.

Nos Mosteiros, o segundo município em termos de habitantes, os dados provisórios avançados pelo delegado do Ministério, Diniz dos Anjos, apontam para mais de 1.200 alunos no EBI, já que está ainda aberta a matrícula. E há pouco mais de 900 alunos no ensino secundário. O corpo docente vai ser constituido por 44 professores no ensino básico e 66 no ensino secundário, segundo os dados provisórios avançados pelo delegado local do ME.

Com o novo figurino, o concelho dos Mosteiros está dividida em três agrupamentos: o da Escola de Queimada Guincho, o agrupamento da Atalaia e o da Escola secundaria dos Mosteiros

Ministério garante transporte dos estudantes de Chã das Caldeiras

Já o município de Santa Catarina do Fogo conta com 1.300 alunos. Os dados avançados pelo delegado, Osvaldo Rodrigues, apontam para 985 alunos no EBI para um total de 49 professores e 315 alunos no ensino secundário para 31 professores.

Quanto à questão do transporte dos cerca de 131 crianças e adolescentes de Chã das Caldeiras - cujas famílias têm residência fixa na Caldeira ao sopé do vulcão activo, Monte Grande e Achada Furna - o Ministério da Educação garante o pagamento do custo de transporte escolar, assevera Osvaldo Rodrigues.

Neste momento, a Escola de Cabeça Fundão está em obras de remodelação para receber as crianças que residem actualmente na Caldeira. Os obras ficarão concluídos nos próximos dias.

Osvaldo Rodrigues conclui que tudo está a postos para que o inicio do novo ano lectivo decorra sem sobressaltos no concelho. Mas Rodrigues alerta que, por se contar com a maioria das escolas no meio rural, muitos dos pais não fizeram ainda as matrículas. Por isso, diz acreditar que o número de efectivos vai aumentar com o início das aulas.

Leia ainda - Artigos mais recentes: