26 Setembro 2017

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Ilha do Fogo: Dirigentes de associações capacitados para gerir sistema mutuário a partir de 2018

  • PDF
Partilhar esta notícia

 

São Filipe, 08 Set (Inforpress) – Dirigentes das associações comunitárias “Bem Servir” (Mosteiros) e “Viver com Dignidade” (São Filipe/Santa Catarina), concluem hoje uma acção de capacitação para gerir o sistema mutuário a partir de Janeiro de 2018, com a retirada da organização não-governamental, Bornefonden.

Ao todo foram capacitados 22 dirigentes dos vários órgãos estatutários das duas associações, tais como assembleia-geral, direcção e conselho de fiscalização (onze dos Mosteiros e igual numero para São Filipe) de modo a melhorar o exercício das funções.

O presidente da Associação “Viver com Dignidade” de São Filipe, Pedro Pires, disse à Inforpress que a formação teve a duração de 10 dias úteis com  uma carga horária de 60 horas, observando que durante este período foram ministrados módulos como “Competências interpessoais e gestão associativa”, “Noções de contabilidade e gestão”, “Empreendedorismo social e dever comunitário” e “Informática básica”.

A criação das duas associações e consequente registo oficial, ocorreu em 2016 (Mosteiros) e 2017 (São Filipe), veio na sequência do programa da retirada da ilha da ONG Bornefonden, programada para final do corrente ano, de modo a garantir a continuidade do sistema mutuária, beneficiando as famílias mais carenciadas das comunidades dos Mosteiros e de São Filipe/Santa Catarina, e começam as suas actividades a partir de 01 de Janeiro de 2018.

Mais de 200 famílias dos três municípios da ilha estão integradas no sistema mutuário criado pela Bornefonden, sendo que para entrar no sistema cada família fica obrigada a pagar uma jóia de três mil e 600 escudos e uma quota mensal de 300 escudos e com direito cuidados de saúde desde aquisição de medicamentos, consultas, extracção de dentes e evacuação de todos os membros da família.

Numa primeira fase o sistema mutuário vai cobrir as despesas com a saúde, mas a ideia das associações é avançar para apoios funerários e a cedência de créditos aos membros da associação, que são pessoas de baixa renda e que não estão cobertas por outros sistemas de segurança social.

Com relação a associação “Viver com Dignidade”, além de promover a mutuária de saúde, o seu presidente promete alargar a base de sócios e garantir a sustentabilidade do projecto, e avançar para outras áreas como educação, através de apoio transporte, propina, material didáctico e continuação de apadrinhamento de alunos, apoio a habitação social com forte enfoque as pessoas com mais dificuldades, criação de um crédito para fomentar as actividades geradoras de rendimento.

Promover formação nas localidades, assim como palestras abordando diversos temas de interesse social e local aproveitando os multiplicadores de informação, dinamizar o conselho de pais, criar um gabinete de apoio a vítimas de VBG e outro para acompanhamento e aconselhamento dos jovens, de entre outros.

JR

Inforpress/Fim

 

Leia ainda - Artigos mais recentes: