24 Novembro 2017

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Fogo: Não há necessidade de se reduzir a floresta para produzir mais alimentos – representante FAO

  • PDF
Partilhar esta notícia

 

São Filipe, 04 Set (Inforpress) – O representante do Fundo das Nações Unidos para Agricultura e Alimentação (FAO) em Cabo Verde, Remi Nono disse hoje na ilha do Fogo, que “não há necessidade de reduzir a floresta para produzir mais alimento”.

Remi Nono que participava juntamente com o ministro da Agricultura e Ambiente (MAA) e do novo representante da União Europeia em Cabo Verde, na apresentação pública do projeto “Reforço das capacidades e resiliência do sector florestais em Cabo Verde”, salientou que as florestas e árvores podem aumentar a produtividade quando estão devidamente integradas nas paisagens agrícolas e que a sua perda resulta na perda de valiosos recursos económicos, sociais e ambientais.

Segundo o mesmo, para pequenos Estados insulares em desenvolvimento como Cabo Verde, os desafios são imensos, mas o objectivo é claro, promover uma gestão sustentável das florestas e dos recursos hídricos essenciais, de forma a garantir a segurança dos alimentos e da água à população, observando que este projecto visa aumentar a resiliência e fortalecer a capacidade de adaptação, factor essencial para enfrentar os riscos adicionais que as mudanças climáticas representam para a desertificação e degradação da terra.

Na sua intervenção no acto em apreço, Remi Nono referiu ainda aos benefícios que as comunidades locais das três ilhas vão ter com a implementação do projecto que apoiar programas nacionais para desenvolvimento económico e redução da pobreza no seio de mulheres, homens e jovens, assim como contribuir para o objectivo de desenvolvimento sustentável.

Por seu turno, José Lora, novo representante da União Europeia em Cabo Verde e que fez a sua primeira deslocação ao Fogo, destacou a importância do projecto no reforço da capacidade de resiliência da população, assim como a parceria existente entre a instituição que representa e o Governo de Cabo Verde.

Segundo disse, espera que com a participação de todos os parceiros envolvidos, as autoridades locais e a população, o projecto venha a ser materializado com êxito e que contribua para o desenvolvimento do país.

Também o edil dos Mosteiros, Carlos Fernandinho Teixeira, em cujo território será implementado as actividades do projecto, em nome dos seus homólogos de São Filipe e Santa Cataria, Jorge Nogueira e Alberto Nunes, destacou a importância do projecto para o seu município e para a ilha no seu todo, com destaque para o sector de turismo.

O projecto tem por finalidade aumentar a resiliência e reforçar a capacidade de adaptação para enfrentar os riscos adicionais provocados pelas alterações climáticas sobre a desertificação e a degradação das terras em Cabo Verde.

Conta com financiamento da União Europeia, através da FAO e do Governo de Cabo Verde e cobre além do Fogo, as ilhas de Santiago e de Boa Vista.

JR/FP

Inforpress/Fim

 

 

 

Leia ainda - Artigos mais recentes: