24 Novembro 2017

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Mosteiros: Unidade de transformação de frutas “ProFood” poderá ser inaugurada em Setembro – consultor

  • PDF
Partilhar esta notícia

 

São Filipe, 30 Ago (Inforpress) – A unidade de transformação de frutas e produtos agrícolas ProFood (PF), constituída por 10 jovens empreendedores dos Mosteiros, poderá ser inaugurada em Setembro, depois de um ano de funcionamento em fase experimental.

A data da inauguração desta unidade semi-industrial não foi fixada ainda, mas um dos seus responsáveis garantem que será no decurso de Setembro, acrescentando que a razão da implementação da mesma é aproveitar as potencialidades agrícolas da ilha do Fogo, em particular dos Mosteiros, sobretudo na produção de frutas de “boa qualidade” como manga, caju e goiaba, de entre outras.

Amarildo Baessa, consultor do projecto, disse à Inforpress que o primeiro ano de funcionamento foi de teste e recolha de dados técnicos, a unidade está a funcionar e este ano vai produzir doces de manga, marmelada, doce de maçã e goiabada, sendo que o processo em relação à transformação de mangas foi concluído e a unidade processou cerca de uma tonelada de polpas de manga, correspondente a cerca de três toneladas de mangas.

Neste momento a unidade está na fase de transformação do marmelo, nomeadamente no processo de selecção das frutas para garantir a qualidade do produto, sendo que esta é a primeira vez que a unidade vai trabalhar com o marmelo, segundo Amarildo Baessa.

A ideia da empresa é produzir doces de frutas como manga e caju, marmelada, goiabada, assim como a conservação de produto hortícolas como pepino, couve-flor, cenoura, abóbora, produção de pastas de pimentão e malagueta e também de peixe fumando, numa primeira fase, devendo avançar para um projecto de dimensão maior que é produção de polpa de manga enlatada para exportação.

Para conseguir este objectivo, é necessário, segundo Amarildo Baessa, a aquisição de novos equipamentos, instalação, assim como incentivar o aumento da área de produção da matéria-prima (manga), o que passa pelo desencadeamento de um trabalho com as famílias no aumento de parcelas de fruticultura, devendo a unidade, em parceria com o Ministério da Agricultura e Ambiente, produzir e disponibilizar plantas fruteiras às famílias.

JR/AA

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: