24 Novembro 2017

Video Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

Fogo: Equipa técnica do MAA está alerta e preparada para combate às pragas – delegado

  • PDF
Partilhar esta notícia

 

São Filipe, 29 Ago (Inforpress) – A equipa técnica do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) está alerta e preparada para combate às pragas de percevejo verde (tartarugas) e de gafanhotos, dispondo a delegação dos equipamentos e materiais necessários, disse Jaime Ledo, delegado do MAA.

Neste momento, há registo de focos de população de percevejo verde em Chã das Caldeiras, em maior dimensão, e em Atalaia, zona norte dos Mosteiros.

Segundo Jaime Ledo, a equipa do MAA vai dar maior atenção ao ataque do foco de Atalaia, onde a cultura está mais avançada e feijões estão na fase de formação de vagens e a presença desta praga pode provocar prejuízos maiores.

Em relação a Chã das Caldeiras, Jaime Ledo disse que as tartarugas nunca desapareceram e que estavam nas rochas e que com a queda das chuvas são visíveis nas plantações de rícino e outros arbustos.

Explicou, entretanto que, neste momento, as pragas não causam grandes estragos porque as sementes estão ainda em fase de germinação, indicando que, apesar disso, a equipa técnica do MAA responsável pelo combate já identificou o foco e vai fazer o seu ataque nos próximos dias.

Esta terça-feira, a equipa técnica desloca-se a Chã das Caldeiras, para iniciar o processo de combate à praga de tartaruga, tendo para o efeito a equipa solicitado a colaboração dos agricultores na mobilização de água, estando igualmente programada deslocação a Atalaia.

O combate às pragas de tartarugas é feito com recurso a “fenitrothion”, produto que será disponibilizado pelo MAA de forma comunitária, já que o mesmo não dispõe de quantidade suficiente para dar a cada agricultor de forma individual.

Em relação a Atalaia, o delegado do MAA informou que o alerta foi dado na segunda-feira, 28, pelos agricultores e que de imediato a equipa deslocou-se ao local para uma primeira prospecção do foco para iniciar o seu ataque, evitando prejuízos nas culturas de feijões que estão na fase de formação de vagens.

Quanto à praga de gafanhotos, Jaime Ledo adianta que é visível alguns focos de gafanhotos de grande dimensão, mas que, igualmente, não causam estragos neste momento.

O responsável adiantou que com a queda das chuvas em toda a ilha do Fogo, é provável que venha a ocorrer a eclosão de gafanhotos em vários pontos, e que poderão provocar estragos, observando que a delegação do MAA está atenta a este fenómeno e preparada para o seu ataque.

Dados disponibilizados pela delegação do Ministério da Agricultura dão conta de que choveu em todas as localidades da ilha e que os agricultores estão em plena faina agrícola, uns na segunda monda, outros na primeira e outros ainda na fase de sementeira.

Nas localidades de Atalaia e Ribeira do Ilhéu (norte) e zonas altas dos Mosteiros, as culturas do milho e de feijões estão numa fase mais desenvolvida, com milho quase a entrar na fase de floração e feijões na formação de vagens.

Na zona norte de São Filipe, nomeadamente Campanas, muitos dos agricultores viram obrigados a procederem a uma segunda sementeira porque a realizada no mês de Julho acabou por se perder devido a insuficiência de chuvas, mas há sítios onde estão a concluir a segunda monda, caso de Mira-mira.
Nas demais localidades estão na fase de sementeira e de preparação para a primeira monda.

Nos últimos três dias, tem chovido em várias localidades da ilha, inclusive na cidade de São Filipe, que voltou a acordar esta terça-feira debaixo de uma chuva mansa.

JR/JMV

Inforpress/Fim

Leia ainda - Artigos mais recentes: